quinta-feira, 12 de julho de 2018

O LUTADOR / THE WRESTLER (2008) - ESTADOS UNIDOS



RÉQUIEM PARA UM LUTADOR

Randy “O Carneiro” Robinson (Mickey Rourke) foi um grande profissional de WWE (ou Pro-Wrestling) nos tempos áureos. Vinte anos depois ele é um homem que aceita lutas para, com míseros trocados, poder pagar o aluguel do trailer e comprar substâncias proibidas e perigosas que melhorem sua performance e lhe consigam trabalho. Sua vida se resume a apresentações combinadas e idas diárias a um clube de streap tease para ver Cassidy (Marisa Tomei), uma dançarina que como ele teve dias mais áureos e sonha por uma nova vida. A dupla começa uma amizade que Randy quer transformar em algo mais, mas o surgimento de um infarto pode por fim a única coisa em que Randy sempre fora bom: a Luta Livre.


Impressionante filme, de baixíssimo custo (para Hollywood), sobre um homem frente a inexorável decadência e ostracismo que, por um desses mistérios da vida, permitiu ao ator Mickey Rourke ressurgir das cinzas de uma carreira irregular, quase relegada ao esquecimento  e acompanhada nos tabloides sensacionalistas.  


O filme tenta mostrar o Wrestling como um grande entretenimento (e realmente o é, principalmente nos EUA) com resultados previamente combinados, mas para Randy  deve ter algo de real e seu corpo passa a ser a veracidade dessa mostra: lesões, contusões, lacerações, mutilações, cicatrizes, Randy se auto flagela para manter a magia do show, para o público ovacioná-lo, para não ser visto como “um velho”, para manter o mito, para poder se sustentar. Uma vida dura onde a alegria deu lugar ao sofrimento e a amargura permanece escondida sobre um sorriso. A vergonha de ser visto trabalhando em um mercado para quem já esteve no topo de seu Olimpo (como muitos lutadores desse gênero).



Mas se a vida de Randy flutua entre bebidas, drogas e rock 'n’ roll, a  de Cassidy vai, aos poucos, revelando-se igualmente tortuosa. Por baixo de suas máscaras revelam-se seres humanos frágeis, como todos nós, dotados de medo, incertezas, insegurança e desamores. As corajosas entregas de Rouke e Marisa transformaram o filme num reflexivo painel de vidas em um futuro incerto e indefinido. E o filme passa pela rejeição da idade, uso de anabolizantes, bebida, suicídio, laços familiares fragmentados, culpa, vergonha, medo, perda de prestígio, amizade, verdades e mentiras. Um roteiro riquíssimo que se revela na vida dos envolvidos, no mundo dos que acordam sem saber como terminarão suas semanas.  Uma metáfora da vida do diretor Darren Aronofsky ao receber aclamados elogios por “Pi” e “Requeim para um Sonho” e  depois ir parar no abismo de críticas diversas por “Fonte da Vida” (2006), recebido com vaias no Festival de Veneza, o mesmo que o ovacionaria com esta produção.


Com o roteiro de Robert D. Siegel (do ótimo “Fome de Poder”) e a direção de Aronofsky , um cineasta que consegue, como poucos, levar para telas roteiros considerados de difícil transposição por serem altamente metafóricos (o caso de "Mãe!") e altamente reflexivos como "Réquiem Para um Sonho" e "Cisne Negro". E Darren apostou alto ao trazer um ator considerado  problemático (que posteriormente revelou ter sido realmente difícil dirigi-lo): Rourke, que colhera ótimas críticas com “O Ano do Dragão” (1985), sendo uma das grandes promessas de “Hollywood” e que começara misteriosamente a afundar a partir de “Orquídea Selvagem” (1989). Sua atuação visceral e impactante em “O Lutador"  lhe permitiu uma indicação ao Oscar (perdeu para Sean Penn em “Milk”) e para Marisa (que perdeu para Kate Winslet - "O Leitor"). A citar a ótima atuação de Evan Rachel Wood (do seriado Westworld) como a filha do protagonista.


O Lutador, que foi taxado como um “anti-Rocky Balboa”, é um filme que toma o espectador logo no início e o mantém ligado até, literalmente, o minuto final. A dupla central dá um show, uma atuação de gala, algo que provavelmente não se repetirá tão facilmente em suas carreiras.  Filme indicado ao público adulto por sua temática e cenas impactantes, com direito a músicas de grupos como Quiet Riot, Ratt e Guns N’ Roses.


Trailer:




Curiosidades:
Mickey Rourke realmente corta sua própria testa com uma lâmina neste filme para adicionar realismo ao papel. Isso também é conhecido pelo termo wrestling como "getting color" ou "juicing".

Devido ao orçamento modesto do filme, Axl Rose doou gratuitamente o uso da música "Sweet Child O 'Mine" do Guns N' Roses para a luta final.

Scott Siegel, o ator que interpretou um traficante de esteroides no filme, foi preso alguns meses depois por posse de esteroides e agressão a policiais federais.

Darren Aronofsky revelou que Mickey Rourke foi a primeira escolha a interpretar Randy "The Ram" Robinson, mas o estúdio queria Nicolas Cage. Aronofsky lutou para ter Rourke como "The Ram", e acabou vencendo. 

O filme supostamente mexeu tanto com o lutador Roddy Piper (Eles Vivem) que ele caiu em lágrimas após uma exibição. 

Embora Darren Aronofsky quisesse Mickey Rourke para o papel principal, Rourke inicialmente hesitou participar do filme, porque ele não era gostara do roteiro nem de pro-wrestling. No entanto, depois de Aronofsky deixá-lo reescrever muito de seus diálogos, Rourke concordou em estar no filme. 

Cassidy e Randy estão no bar e cantando juntos a música "Round and Round" do grupo Ratt 

Randy "The Ram"("O Carneiro") Robinson compartilha características dos dois maiores ícones de wrestling da década de 1980: Hulk Hogan e Randy 'Macho Man' Savage (Randy Savage). O visual de "The Ram", com o longo cabelo loiro e físico, assim como o uso de esteroides, é obviamente de Hogan, enquanto o "Ram Jam" é inspirado em "Flying Elbow" de Savage. Até mesmo para a pose antes de executá-lo. A briga do Ram com "The Ayatollah" também imita a rivalidade que Hogan teve com Khosrow Vaziri (vulgo "The Iron Sheik") que fez dele um superstar de 1980 ao início dos anos 90. 

Darren Aronofsky considerou Sylvester Stallone para o papel principal, mas desistiu, sentindo que era tematicamente semelhante ao até então recente "Rocky Balboa" (2006). 

A atriz Abbie Cornish foi originalmente escalada como Stephanie Robinson, mas desistiu no último minuto. Evan Rachel Wood a substituiu.

Durante a cena no club, Ram (Mickey Rourke) está mostrando a Cassidy (Marisa Tomei) algumas das cicatrizes que ele acumulou ao longo de sua carreira e ela diz a ele: "Ele foi ferido por nossas transgressões, ele foi esmagado por nossas iniquidades; o castigo que nos trouxe a paz estava sobre ele, e por suas feridas nós fomos curados "- esta é uma referência direta e palavra por palavra ao verso bíblico do Antigo Testamento de Isaías 53: 5. O capítulo 53 do livro de Isaías é a última de quatro canções sobre "O Servo Sofredor" e conta a história de um "Homem das Dores" 

Durante a maior parte do filme, "Metal Health (Bang Your Head)" do Quiet Riot é a introdução ao tema de "The Ram". "Sweet Child O' Mine" do Guns 'N' Roses foi tocado quando Ram fez sua entrada antes da partida final. 

O roteiro deste filme foi apresentado na lista negra de 2007; uma lista dos scripts mais admirados e não filmados daquele ano. 

Nome verdadeiro de Randy é Robin Ramzinski

Quando Cassidy deixa o clube de strip, outra dançarina diz que deixou seus sapatos. Deixar as botas no ringue é uma forma tradicional de um wrestler desistir. 

Trilha Sonora: 
Bang Your Head (Metal Health) - Quiet Riot
Don't Know What You Got (Till It's Gone) - Cinderella
Stuntin' Like My Daddy [Explicit] -  Birdman & Lill Wayne
Don't Walk Away - Firehouse
Soundtrack To A War: Welcome To Hell - Rhinobucket
Blowin' Up - Solomon
Mirror - Dead Family
Round And Round - Ratt
Dangerous - Slaughter
I'm Insane - Ratt
Balls To The Wall [Explicit] - Accept
Animal Magnetism - Scorpions


Filmografia Parcial:
Mickey Rourke












1941 - Uma Guerra Muito Louca (1979); Escuridão da Morte (1980);Relação Violentada (1980); Portal do Paraíso (1980); Corpos Ardentes (1981); O Selvagem da Motocicleta (1983); O Ano do Dragão (1985); 9 1/2 Semanas de Amor (1986); Coração Satânico (1987); Barfly: Condenados pelo Vício (1987); Francesco: A História de São Francisco de Assis (1989); Orquídea Selvagem (1989); Horas de Desespero (1990); Harley Davidson E Marlboro Man - Caçada Sem Tréguas (1991); Areias Brancas (1992); A Colônia (1997); 9 1/2 Semanas de Amor 2 (1997); O Implacável (2000); Identidade Trocada: Uma Inocente em Fuga (2001); Era Uma Vez no México (2003); Chamas da Vingança (2004); Sin City: A Cidade do Pecado (2005); Domino: A Caçadora de Recompensas (2005); Alex Rider Contra o Tempo (2006); O Lutador (2008); 13: O Jogador (2010); Homem de Ferro 2 (2010); Os Mercenários (2010); Imortais (2011); Sin City: A Dama Fatal (20140; Marcas da Guerra (2015); Nightmare Cinema (2018); Tiger (2018)


Marisa Tomei











Flamingo Kid (1984); Oscar: Minha Filha Quer Casar (1991); Zandalee: Uma Mulher para Dois (1991); Meu Primo Vinny (1992); Chaplin (19920; O Jornal (1994); Grande Hotel (1995); De Bem com a Vida (1996); O Outro Lado de Beverly Hills (1998); Do que as Mulheres Gostam (2000); Alguém Como Você (2001); Tratamento de Choque (20030; Obsessão (2005); Baila Comigo (2005); Motoqueiros Selvagens (2007); Antes que o Diabo Saiba que Você Está Morto (2007); O Lutador (2008); Cyrus (2010); Virando a Página (2014); A Grande Aposta (2015); Capitão América: Guerra Civil (2016); Homem-Aranha: De Volta ao Lar (2017); Homem-Aranha: Longe do Lar  (2019); A Family Vacation (2019)  


Evan Rachel Wood 


 








Sangue Amargo (1994);  A Procura de Grace  (1994); Retrato de Coragem (1995); O Poder da Emoção (1997); Da Magia à Sedução (1998); Garotas Malvadas (2005); A Outra Face da Raiva (2005); O Rei da Califórnia (2007); O Lutador (2008); Um Caso de Amor (2013); Westworld (seriado 2016 - ?)



Fontes: 
Jornal O Globo
IMDB
1001 Filmes Para se Ver Antes de Morrer

quarta-feira, 11 de julho de 2018

A MARCA DA FORCA / HANG 'EM HIGH (1968) - ESTADOS UNIDOS




IRREGULAR NO CONJUNTO

Nos idos de 1889, Jed Cooper (Clint Eastwood) é confundido, por um grupo, com um ladrão de gado e assassino. Mesmo alegando inocência é surrado, roubado, enforcado e dado como morto. Salvo por um delegado, Dave Bliss (Ben Johnson), do laço que quase o matara, é levado até o juiz Adam Fenton (Pat Hingle) que tem sob sua custódia o verdadeiro culpado. Estando livre e tendo sido um ex-agente da lei, recebe o convite de usar a estrela de delegado, cobrindo parte de um território e com a condição de trazer vivo seus algozes. Jed resolve empreender uma caçada implacável aqueles que o deixaram à beira da morte.


A Marca da Forca foi o primeiro faroeste para o cinema protagonizado por Eastwood após sua passagem pelo Western Spaghetti italiano, um subgênero que deu notoriedade a vários artistas e diretores nos anos 60 até meados dos anos 70. Um estilo de cinema bem diferente daqueles que Hollywood produzira, principalmente nos anos 40 e 50 e que muitos elevaram a categoria de arte como "Rastros de Ódio" e "Os Brutos Também Amam". Eastwood virou um dos ícones  desse faroeste "made in Roma", mas em 1968 resolveu fazer um faroeste americano inaugurando sua produtora Malpaso, um empreendimento de sucesso que persiste até o tempos atuais. O resultado: A Marca da Forca


Os executivos dos  estúdios queriam um diretor de renome e sugeriram dois nomes: John Sturges (“Sete Homens e um Destino”) e Robert Aldrich (“Os Doze Condenados”), mas Eastwood quis Ted Post um diretor de seriados, principalmente de westerns, como Rawhide (1959–1965), que Eastwood estrelara.  Ted Post  faria ainda entre vários, “De Volta ao Planeta dos Macacos” (1970) e “Magnum 44” (1973), este último também estrelado pelo ator.  Para os mais antigos e amantes de séries alguns poderão ser recordar  do seriado Ark II (aquele que um trio, junto com um orangotango, desbravavam um mundo pós- apocalíptico em um laboratório sobre rodas). Além disso, a estória ficou a cargo de dois escritores de seriados:  Leonard Freeman e Mel Goldberg, mais conhecidos pela nostálgica série "Havaí 5-0" e sua nova versão. O leitor dessas linhas já deve ter percebido o problema da produção: os envolvidos tinham muita experiência em seriados e não em filmes. Esse foi o problema chave da produção.


O filme tem até uma ótima premissa: Jed é enforcado, salvo e inocentado. Promovido pelo juiz local a Xerife, tem que seguir a lei: prender para um julgamento e não ser o juiz e executor. Só isso já daria um filme muito interessante, até porque existe uma reflexão acerca do poder do Estado  na figura de um juiz que enforca a torto e a direito num época sem lei. Até Jed passa a questionar se a pena de morte seria algo tão forte para alguns crimes (isso fica bem claro quando prende dois jovens que poderiam ser apenas encarcerados). O juiz tem uma justificativa dúbia, que muitos espectadores aceitarão e outros verão como uma distorção do conceito de justiça. Só que a direção inconsistente de Post e o roteiro fraco da dupla já citada, deu um ar de telefilme a produção que muitos não gostaram e que se observarmos bem podemos vê-lo como um episódio piloto para uma série que nunca vingou. O propósito não foi esse, visto que foi levado à telona, mas se fosse feito para a telinha teria emplacado uma série interessante. 


Do elenco, de interessante, somente Eastwood, Ben Johnson na pele do juiz que deseja trazer a “civilização” a sua cidade e Inger Stevens como Rachel, a mulher que anseia por encontrar determinados bandidos a cada grupo de presos que chegam. O restante faz sua parte de maneira muito rápida, mas dá pra ver rostos conhecidos como Bruce Dern, L.Q. Jones, Dennis Hopper, Mark Lenard (da Série "Jornadas nas Estrelas" como o pai de Spock e do seriado "Planeta dos Macacos" como o gorila "Urko")  e James MacArthur, que foi protagonista do seriado  "Havai 5-0", fazendo aqui um pastor numa cena bem curiosa: as pessoas vão assistir alegremente a um quase show dos que serão enforcados. Tem até comércio para quem aguarda o “evento”. O personagem de Eastwood meio que assiste a tudo com um ar de incredulidade. Uma dualidade entre o que é castigo e perdão. E o papel da religião nesses momentos ou na época do Velho Oeste.

A Marca da Forca não é um memorável filme de Western, nem de longe um filme ruim. Tem bons momentos mas foi mal desenvolvido. Poderia ter sido um grande filme do gênero se tirasse umas situações “aqui” e colocasse outras “ali” e mudasse o final anti-clímax. Vale por Eastwood e por conhecer os filmes deste grande ator de vários gêneros e que se revelou um dos melhores diretores de seu tempo.

Curiosidades:
Segundo e último filme de Michael O'Sullivan (1934–1971) que faleceu devido a ingestão de pílulas. Não foi determinado se foi suicídio.

James MacArthur  (1937–2010) faleceu de Câncer

Dennis Hopper  (1936–2010) faleceu de  Câncer de Próstata 

Pat Hingle  (1924–2009) faleceu de  Leucemia

Inger Stevens (1934–1970) cometeu suicídio aos 35 anos

Mark Lenard (1924–1996) faleceu de Mieloma múltiplo



Filmografia Parcial:

Clint Eastwood
 Por Um Punhado de Dólares (1964); Por uns Dólares a Mais (1965); Meu Nome É Coogan (1968); O Desafio das Águias (1968); O Estranho Que Nós Amamos (1971); Perversa Paixão (1971); Perseguidor Implacável (1971); O Estranho Sem Nome (1973); Magnum 44 (1974); Escalado para Morrer (1975); Josey Wales - O Fora da Lei (1976); Sem Medo da Morte (1976); Rota Suicida (1977); Doido para Brigar... Louco para Amar (1978); Alcatraz - Fuga Impossível (1979); Bronco Billy (1980); Punhos de Aço - Um Lutador de Rua (1980); Firefox: Raposa de Fogo (1982); Impacto Fulminante (1983); Um Agente na Corda Bamba (1984); O Cavaleiro Solitário (1985); Dirty Harry na Lista Negra (1988);Os Imperdoáveis (1992); Na Linha de Fogo (1993); Um Mundo Perfeito (1993); As Pontes de Madison (1995); Menina de Ouro (2004); Gran Torino (2008); Curvas da Vida (2012) 


Inger Stevens (1934–1970)
Fogo no Coração (1957); Fogo no Coração (1957); Grito de Terror! (1958); Corsário Sem Pátria (1958); Torvelinho de Paixões (1964); A Grande Cilada (1967); Os Impiedosos (1968); A Marca da Forca (1968); Pôquer de Sangue (1968); Sonho de Reis (1969); The Mask of Sheba (1970); Vingança de um guerreiro (1970)



Pat Hingle (1924–2009)
Sindicato de Ladrões (1954); Convite a Um Pistoleiro (1964); A Marca da Forca (1968); Os 5 de Chicago (1970); A Vida Secreta de John Chapman (1976); Rota Suicida (1977); Norma Rae (1979); Impacto Fulminante (1983); A Traição do Falcão (1985); Comboio do Terror (1986); Batman (1989); Os Imorais (1990); Batman: O Retorno (1992); Rápida e Mortal (1995); Batman Eternamente (1995); Batman & Robin (1997); Undoing Time (2008)

Bruce Dern

Marnie, Confissões de uma Ladra (1964); Os anjos Selvagens (1966); ...E o Bravo Ficou Só (1967); A Marca da Forca (1968); Uma Cidade Contra o Xerife (1969); A Noite dos Desesperados (1969); Corrida Silenciosa (1972); O Grande Gatsby (1974); Trama Macabra (1976); Amargo Regresso (1978); Harry Tracy - Caçado Até a Morte (1982); Era da Destruição (1987); Meus Vizinhos são um Terror (1989); O Golpe Perfeito (1992); O Último Matador (1996); Rota de Fuga (1999); A Casa de Vidro (2001); Monster: Desejo Assassino (2003); O Buraco (2009); A Escolhida (2011); Django Livre (2012); Nebraska (2013); Os Oito Odiados (2015); Nostalgia (2018)

Dennis Hopper (1936–2010)
Sem Lei e Sem Alma (1957); Os Filhos de Katie Elder (1965); Rebeldia Indomável (1967);A Marca da Forca (1968); Sem Destino (1969); Bravura Indômita (1969); O Amigo Americano (1977); Apocalypse Now (1979);O Selvagem da Motocicleta (1983); Veludo Azul (1986); Momentos Decisivos (1986); O Mistério da Viúva Negra (1987); Quase sem Destino (1990); Paris Trout (1991);Velocidade Máxima (1994); Waterworld - O Segredo das Águas (1995); Piratas do Espaço (1996); O Guarda-Costas (2002); O Corvo - Vingança Maldita (2005).

terça-feira, 10 de julho de 2018

ALMA PERDIDA / THE UNBORN (2009) - ESTADOS UNIDOS




NO MEIO TERMO

Casey Beldon (Odette Yustman) é uma estudante universitária, cuja mãe (Carla Gugino) se suicidou quando esta ainda era pequena. Certo dia ela começa a ser atormentada por visões da qual não consegue compreender: um menino de aparência espectral que parece surgir em pesadelos, alucinações ou até mesmo acordada. Sua melhor amiga Romy (Meagan Good) e seu namorado Mark (Cam Gigandet) acreditam que possa estar passando por algum tipo de stress.


As visões e sonhos começam a se intensificar, inclusive com o passado da mãe internada em um sanatório. Ao sofrer um pequeno acidente é examinada por oftalmologista que lhe informa que o seu problema ocorre normalmente com gêmeos, mas Casey até onde sabe, nunca teve irmãos. Ela consegue localizar uma senhora que conheceu sua mãe e lhe conta que um espírito do mal (um dybbuk) pretende entrar nesse mundo e que a jovem deve ter muito cuidado, pois sua vida encontra-se em risco mortal (se você viu o filme “Possessão” de 2012 vai estar familiarizado). Casey recorre a ajuda de Sendak (Gary Oldman), um rabino que escuta a sua curiosa estória  e sua necessidade de exorcismo. Mesmo não acreditando na fantasiosa estória de um demônio judaico, ele resolve traduzir um livro que a jovem trouxera. Só que o espírito não quer interferências.



Alma Perdida é um título brasileiro bem melhor que o seu original (que entrega muito de acordo com que assistimos o filme). Um filme que teve um custo bem baixo e uma bilheteria até interessante para o investimento. Muitos dirão que o principal problema do filme está na falta de originalidade do roteiro. Talvez (crianças demoníacas; espelhos como portais; nazismo; exorcismo, insetos, como o “Grilo de Jerusalem”; avisos repetidos; folclore judaico ...) até tenham razão, mas essa "salada", como foi contada, até que prende a atenção apesar dos críticos terem achado o contrário batendo forte nas análises.



O filme se inicia deixando o espectador com certa dúvida do que está ocorrendo. Casey tem visões: fantasia, paranoia ou realidade? Claro que há certa obviedade inevitável principalmente do meio para a parte final. Tem uma justificativa interessante para o motivo da criatura existir, mas também traz um inconveniente: provoca mais ansiedade e expectativa do que sustos. Talvez seja por isso que as tentativas de assustar o público venha com gritos e sons estridentes. O problema seja talvez o mau desenvolvimento dos personagens (leia-se superficiais) com situações mal resolvidas e aparições as vezes muito rápidas e sem sentido.



Odette Yustman (que atualmente assina Odette Annable) tenta fazer o que pode para segurar o papel da jovem assustada e atormentada por um espírito que (bem interessante essa ideia) vai ficando cada vez mais forte. Gary Oldman é um dos primeiros a ter um personagem mal desenvolvido: ele é um rabino (praticamente aparece sozinho) que não acredita em demônios. Pega um extenso livro em hebraico (trazido por Casey), faz uma ultra rápida tradução e simplesmente resolve que pode fazer um exorcismo. Idris Elba é um dos que entra no filme e acaba subutilizado, mas até que se sai razoável dentro daquilo que lhe foi proposto. Jane Alexander, apesar de já ter 4 indicaões ao Oscar na carreira não é muito conhecida do público brasileiro. Sua caracterização da senhora que é o elo que detém a chave do mistério está ótima e a atriz teve um personagem bem desenvolvido não deixando a eficiência cair. James Remar ("Warrios, Os Selvagens da Noite") que faz o pai de Casey aparece no filme,  lhe passa uma informação vital e ... some de cena. Aparentemente a morte da esposa não o abalou e problema da filha nem lhe interessa saber. Uma  falha grigante do roteiro (ou suas cenas foram cortadas da edição final). Cam Gigandet faz o namorado que não acredita, finge que acredita e depois acredita. É outro personagem mal desenvolvido. Tem um porque de estar no filme, mas se o roteiro fosse um pouco diferente sua falta não seria notada. Outra atriz que se destaca é Meagan Good como a melhor amiga Romy. Essa sim também soube aproveitar o personagem recebido e tem uma atuação bem interessante. Atticus Shaffer, que faz o garoto, filho da família, tinha 11 anos, mas fazendo um papel bem abaixo da idade. Até consegue passar aquele ar de suspense e Ethan Cutkosky, por baixo de uma maquiagem pesada, tenta assustar os espectadores (mais suscetíveis). Um elenco mesclado de atores / atrizes de cinema com outros que seguiram participando mais de seriados.



Alma Perdida não é um filme ruim, nem ótimo. Fica ali bem no meio termo. Agradará a alguns porque tem um clima interessante (mais de suspense), efeitos bem  aplicados e uma direção de David S. Goyer (que também escreveu) interessante. Apesar de Goyer vir atuando muito mais como escritor (está escrevendo Exterminador do Futuro 6 e escreveu e/ou roteirizou "Cidade das Sombras", "Trilogia Batman", "Trilogia Blade", "Garantia de Morte"...) e produtor do que como diretor (apenas 4 filmes para o cinema, entre eles "Blade Trinity") aqui me pareceu que o mau desenvolvimento dos personagens prejudicou o filme, mas sua direção eficiente conduziu o filme de forma que amenizasse as inconsistências. Filme que garante alguns (leves) sustos. Se no cinema pode não ter valido o ingresso, na telinha torna-se até um divertimento interessante porque se não estiver agradando, bastar mudar de canal.

Trailer:







Curiosidades
O nome do rabino Sendak é uma referência a Maurice Sendak, escritor do clássico infantil "Where the Wild Things Are".

Quando o Rabino Sendak abre o livro hebraico em seu escritório, ele o folheia na direção errada. O hebraico é escrito na direção oposta ao inglês; um verdadeiro rabino teria aberto o livro e lido da direita para a esquerda.

Megan Good diz "old-timers" quando se refere ao Alzheimer.
 

Filmografia Parcial:
Odette Annable
 









Um Tira no Jardim de Infância (1990); O Amor Não Tira Férias (2006); Transformers (2007); Cloverfield: Monstro (2008); Alma Perdida  (2009); Terapia Casual  (2010); Codinome Cassius 7 (2011); Dr. House (seriado 2011-2012); Banshee (seriado 2013-2015); Supergirl (seriado 2017-2018)

Gary Oldman

 









Sid & Nancy 1986, Henry & June - Delírios Eróticos (1990); JFK - A Pergunta que Não Quer Calar (1991); Drácula de Bram Stoker; Amor à Queima Roupa (1993); O Profissional (1994); Minha Amada Imortal (1994); Assassinato em Primeiro Grau (1995); A Letra Escarlate (1995); O Quinto Elemento (1997); Perdidos no Espaço: O Filme (1998); Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban (2004); Batman Begins (2005);  Harry Potter e o Cálice de Fogo (2005); Harry Potter e a Ordem da Fênix (2007);Batman: O Cavaleiro das Trevas (2008); Alma Perdida (2009);  O Livro de Eli (2010); Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 2 (2011); Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge (2012); RoboCop (2014); Planeta dos Macacos: O Confronto (2014); O Destino de Uma Nação (2017)

Idris Elba










Abril Sangrento (2005); Segundo Evangelho (2005); As Garotinhas do Papai (2007); A Colheita do Mal (2007); Extermínio 2 (2007); O Gângster (2007); A Morte Convida para Dançar (2008);Rock'n'Rolla: A Grande Roubada (2008); Alma Perdida (2009);  Thor (2011);  Motoqueiro Fantasma: Espírito de Vingança (2011); Prometheus (2012); Círculo de Fogo (2013); Mandela: O Caminho para a Liberdade (2013); Thor: O Mundo Sombrio (2013); O Franco-Atirador (2015); Vingadores: Era de Ultron (2015); Beasts of No Nation (2015); Star Trek: Sem Fronteiras (2016); A Torre Negra (2017); A Grande Jogada (2017); Thor: Ragnarok (2017); Vingadores: Guerra Infinita (2018);


Jane Alexander:











A Grande Esperança Branca (1970);  Os Novos Centuriões (1972); Todos os Homens do Presidente (1976); Os Desalmados (1978); Kramer vs. Kramer (1979); Brubaker (1980); Amarga Sinfonia de Auschwitz (1980); Herança Nuclear ou Testamento (1983);  Cidade Ardente (1984); Ciranda de Ilusões (1987); Tempo de Glória (1989); Regras da Vida (1999); O Chamado (2002); A Pele (2006);  Alma Perdida (2009); O Exterminador do Futuro: A Salvação (2009); A Casa dos Sonhos (2011); O Último Amor de Mr. Morgan (2013); Lista Negra (seriado 2013-2014); The Good Wife (seriado 2011 -2015); Three Christs (2018).

James Remar:

 









Warriors - Os Selvagens da Noite (1979); Parceiros da Noite (1980); Cavalgada dos Proscritos (1980); Dois Tiras Meio Suspeitos (1982); A Tribo da Caverna do Urso (1986); A Quadrilha da Mão (1986); De Médico e Louco Todo Mundo Tem um Pouco (1989); Drugstore Cowboy (1989);  Caninos Brancos (1991); Aliança Mortal (1991); Blink - Num Piscar de Olhos (1994); O Fantasma (1996); Mortal Kombat - A Aniquilação (1997);  K-Pax - O Caminho da Luz (2001); Mais velozes, Mais Furiosos (2003); Duplex (2003); Atirador de Elite (2007); Alma Perdida (2009);  Red: Aposentados e Perigosos (2010); X-Men: Primeira Classe (2011); Django Livre (2012); Amaldiçoado (2013); Dexter (seriado 2006 -2013);  A Anatomia de Grey (seriado 2013-2014); Homens de Coragem (2016); The Night Watchmen (2017); Gotham (seriado 2017)


Cam Gigandet












Tudo pela Honra do Meu Pai (2007); Prazeres Proibidos (2007); Quebrando Regras (2008); Crepúsculo (2008); Alma Perdida (2009);Pandorum (2009); Pandorum (2010); Padre (2011); Reféns (2011); A Saga Crepúsculo: Amanhecer - Parte 2 (2012); A Corrida da Superação (2014); Sete Homens e um Destino (2016); Black Site Delta (2017) Ice (seriado 2016-2018)