terça-feira, 23 de maio de 2017

A LUZ ENTRE OS OCEANOS / THE LIGHT BETWEEN OCEANS (2016) - REINO UNIDO / NOVA ZELÂNDIA / ESTADOS UNIDOS



ESCOLHAS E CONSEQUÊNCIAS NUM CONTO DE AMOR E SACRIFÍCIO  


Tom Sherbourne (Michael Fassbender) é um ex-oficial recém chegado da primeira grande guerra. A fim de passar um tempo sozinho, se candidata a ser o novo empregado à cuidar de um farol que serve de orientação aos navios. A princípio seu trabalho seria de apenas 3 meses, em substituição temporária ao antigo faroleiro, que adoecera. Só que Tom recebe, posteriormente, a oferta de  um novo contrato de 3 anos, aceitando de imediato a proposta. Os meses passam e o novo personagem passa a integrar-se à comunidade local onde acaba conhecendo a jovem Isabel Graysmark (Alicia Vikander). A paixão é imediata e logo se encontram casados, com Isabel se mudando para a ilha solitária de Tom.


Isabel engravida, mas acaba perdendo o filho prematuramente. Uma nova gravidez e uma nova perda abalam o casal que permanece isolado e não revela o ocorrido. Certo dia um barco chega com um corpo adulto junto a um bebê ainda vivo. Tom e Isabel resolvem ficar com a criança, não notificar o ocorrido e apresentar a criança como sendo fruto da gravidez desta. Tudo parece transcorrer dentro do normal, quando o casal, na cidade, vai batizar “Lucy” e Tom conhece Hannah Roennfeldt (Rachel Weisz), que perdera o marido e a filha Grace em alto mar. Tom resolve enviar um bilhete anônimo à verdadeira mãe, informando que sua filha encontra-se viva e bem. Hannah ganha um incentivo para tentar localizar sua filha de todas as maneiras, enquanto Tom começa a entrar em uma crise de consciência.


Baseado no romance de M.L. Stedman, "The Light Between Oceans", seu primeiro livro, a abordagem centra na ética e nos dilemas morais que o trio passará ao longo da estória. O diretor Derek Cianfrance (de “Namorados Para Sempre” (2010)), que também ficou responsável pela adaptação, aproveitou os ótimos cenários de Cape Campbell Lighthouse, em  Marlborough, Nova Zelândia e em  Stanley, Tasmânia na Austrália. Essa escolha fez toda a diferença para a estória funcionar. A bela fotografia de Adam Arkapaw (“Reino Animal” -2010- e “Assassin's Creed” -2016-) leva o espectador a emergir num local remoto e de muita calmaria.


O drama segue um ritmo crescente: começa com uma rápida apresentação dos personagens, um romance e a vida no farol isolado. A partir da chegada do bebê tudo muda. O filme cresce, os personagens começam a entrar em dilemas e tudo caminha para Hannah descobrir toda estória. Devemos lembrar que o filme se inicia logo após a primeira guerra (1914-1918) e Tom é apresentado ao espectador  como um homem que viu o tipo de ser humano que a guerra produz, supõe-se, pela sua fisionomia melancólica, que trouxe coisas que deverão ser esquecidas. Viver em isolamento, quase esquecido o fará bem. 


Isabel é uma jovem que se apaixona por aquele “homem da guerra” e é correspondida. A criança aparece como uma bênção, "um presente de Deus", que veio direto para os seus braços. Tudo levaria a supor que o destino assim o queria, mas esse mesmo destino prega peças e coloca Tom diretamente com a mãe da criança que explica todo o episódio. Duas mães que perderam seus filhos: uma nunca poderá recuperá-los, outra sim. Hannah ainda tem essa possibilidade. Tom fica no dilema: tirar o "novo" filho de Isabel a deixando em cacos ou deixar em cacos Hannah que acredita ter perdido o filho para sempre. Tom é racional, Isabel emocional. Sua decisão não pode ser compartilhada com a esposa, mas essa decisão tem um custo: ainda que acreditassem estar fazendo o melhor, cometeram um crime: o homem encontrado morto não fora notificado às autoridades e, assim também, deveria ter sido feito com a criança.


O elenco está ótimo. Michael Fassbender e Alicia Vikander obtiveram uma química perfeita. Não por acaso o casal se conheceu durante as filmagens e continua junto atualmente, o que contribuiu, certamente, para o sucesso do filme. Rachel Weisz ("A Múmia" e "Círculo de Fogo") é uma ótima atriz e sua concepção de uma mãe desesperada em encontrar a filha, a qualquer custo, funcionou muito bem. Coincidências da vida que Fassbender e Vikander fizeram dois personagens dotados de inteligência artificial (ele "Prometheus", ela "Ex- Machina').


A Luz Entre os Oceanos é um bom filme, que poderá levar as lágrimas os mais sensíveis, devido algumas passagens mais emocionantes. Para os que não se comovem facilmente fica um bom drama levado às telas com eficiência e sensibilidade. Apesar de não ter tido um retorno financeiro nas bilheterias, pode ser redescoberto pelo mercado de vídeo e pelas tvs. Diversão de bom gosto.

Trailer:



Curiosidades:

Michael Fassbender é alemão e foi indicado a 2 Oscars: "12 Anos de Escravidão" (2013) como Melhor Ator Coadjuvante  e "Steve Jobs" (2015) como Melhor Ator

Alicia Vikander é sueca e foi indicada ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante por "A Garota Dinamarquesa" (2015)

Rachel Weisz é inglesa e ganhou o Oscar de Melhor atriz Coadjuvante por "O Jardineiro Fiel" (2005)

O filme custou 20 milhões de dolares e rendeu 4 milhões a mais

Filmografia Parcial:
Michael Fassbender

 








300 (2006);Sem Saída (2008); Bastardos Inglórios (2009); Renascido das Trevas (2009); Centurião (2010); Jonah Hex - Caçador de Recompensas (2010); X-Men: Primeira Classe (2011); Shame (2011); Prometheus (2012); 12 Anos de Escravidão (2013); 12 Anos de Escravidão (2014); Steve Jobs (2015); X-Men: Apocalipse (2016); A Luz Entre Oceanos (2016); Assassin's Creed (2016); Alien: Covenant (2017); The Snowman  (2017)

Alicia Vikander

 









O Amante da Rainha (2012); Anna Karenina (2012); O Quinto Poder (2013); Sangue Jovem (2014); Ex_Machina: Instinto Artificial (2014); O Sétimo Filho (2014); O Agente da U.N.C.L.E. (2015); A Garota Dinamarquesa (2015); Jason Bourne (2016); A Luz Entre Oceanos (2016); Tomb Raider (2018)

Rachel Weisz

 









Beleza Roubada (1996); Reação em Cadeia (1996); A Múmia  (1999); Sunshine - O Despertar de um Século (1999); Círculo de Fogo (2001); Círculo de Fogo (2001); O Júri (2003); Constantine (2005); O  Jardineiro Fiel (2005); Três Vezes Amor (2008); Um Olhar do Paraíso (2009); A Informante (2010); O Legado Bourne (2012); Oz: Mágico e Poderoso (2013); A Luz Entre Oceanos (2016)

sexta-feira, 19 de maio de 2017

O QUARTO SÁBIO - THE FOURTH WISE MAN (1985) - ESTADOS UNIDOS






"Quando fizestes coisas pelo menor dos meus irmãos, fizestes por mim"

Artaban (Martin Sheen) é um médico que descobre, através das antigas profecias, que o messias chegará. Vende todas as suas posses e as transforma em três joias: uma safira, um rubi e uma preciosa pérola. Seus cálculos sugerem o local do nascimento em Jerusalém. Com a bênção de seu relutante pai parte ao encontro dos três reis magos: Gaspar, Belchior e Baltazar para, juntos, procurarem ao rei que governará todo o mundo. As joias serão seu presente. Artaban parte com seu escravo, Orontes (Alan Arkin de “Pequena Miss Sunshine”), em sua jornada. O servo tem a promessa do pai de seu amo que se o acompanhar e o trouxer de volta, em segurança, terá sua liberdade.




No caminho, ao encontro de seus três amigos, a dupla se atrasa para ajudar a um senhor moribundo. Os conhecimentos médicos de Artaban salvam o idoso, fazendo com que percam o encontro, mas descobrem que o Messias deverá estar em Belém e não em Jerusalém. Artaban vende sua safira para comprar camelos e provisões e poder atravessar o deserto ao encontro do maior mestre de todos.



Baseado no livro fictício de Henry Van Dyke (1852 - 1933), "The Story of the Other Wise Man", um clássico da literatura americana, “O Quarto Sábio” narra a trajetória de Artaban e seu fiel servo (fiel, mas louco para voltar e ganhar a liberdade) para encontrarem o Rei de Israel. Um infortúnio impede-os de encontrar o Messias em seu nascimento, com isso ele passa os anos à procura, mas vários eventos o obrigam a dar pausas em suas buscas, sempre ajudando ao próximo e sempre mais longe do seu objetivo. Tanto o livro quanto esta adaptação transmite uma mensagem poderosa: a de ajudar ao próximo. Artaban entende que suas joias seriam o presente que um rei gostaria de receber, mas encontrará uma realidade completamente oposta. Um homem que não necessita de presentes, dinheiro ou posses e cuja  mensagem de amor, paz, compreensão, caridade e perdão são o presente que esse Rei oferece à humanidade. Ele não veio para receber presentes, mas para transmitir a palavra e mostrar ao mundo que Deus ama seus filhos.


O filme não centra na figura de Jesus. A história tem quase sua totalidade na vida de Artaban e sua (interrompida) busca. Ele não hesita em desfazer de suas joias para ajudar a uma pessoa em necessidade ou perigo, como na cena do centurião que busca os recém nascidos sob as ordens de Herodes. Alias o Centurião em questão é nada menos que Charlie Sheen (do seriado Two and a Half Man), filho do ator, fazendo uma participação especial. Pai e filho em cena. 



Ao empreender uma nova viagem, durante 4 anos, chegam ao Egito (numa cena hilária onde Artaban encontra um José, uma Maria e uma criança bem diferente!). A parte cômica do filme fica por conta do ótimo ator Alan Arkin. Ele faz o escravo e tem as melhores tiradas, sempre tentando fazer a cabeça de seu mestre para voltar para a casa, para seu pai e de tabela conseguir a tão prometida liberdade.



A Dupla é assaltada e vai parar numa colônia de leprosos para reaver seus bens. Aqui fica a lição do perdão, da caridade e de ajudar e amar seus inimigos. Artaban não tem o dom da cura, mas pode com suas habilidades médicas amenizar o sofrimento dos que ali estão e ensiná-los a trabalharem em equipe, mas isso lhe custará um preço: seus anos, sua saúde e a perda de seu pai . 




Apesar de ter uma duração curta, em torno de 72 minutos e de ser um filme feito para a Tv, o diretor Michael Ray Rhodes, com uma filmografia quase toda em telefilmes e seriados, conseguiu condensar de uma forma excelente: um ritmo perfeito, que mantém o espectador preso à ótima estória; excelente locação (no Death Valley National Park e Paramount Ranch, na Califórnia) e um elenco de primeira. Perto dos 20 minutos finais surgem as partes mais emocionantes da história: Artaban se descobre próximo a Jesus e sente que pode encontrá-lo. O espectador perceberá algumas passagens bíblicas incorporadas à ficção de uma maneira perfeita. A estória começa a se fechar até o final edificante, não sem antes Artaban novamente salvar ao próximo da maneira como sempre fizera. Sua busca foi em vão? Jesus aceitará o seu presente?



O Quarto sábio é uma produção tão boa que pode chegar a confundir alguns, que poderão acreditar que a estória é verdadeira, principalmente, pelo já citado, incorporamento de momentos bíblicos. Sua força se encontra também no seu elenco:  Martin Sheen e Alan Arkin obtiveram a química perfeita e a veterana atriz Eileen Brennan, no papel de Judith (a líder da aldeia), esteve no mesmo nível de seus companheiros de cena. 



Tudo isso faz com que esta produção seja altamente recomendada para aqueles que gostam de produções caprichadas, quanto aos que buscam um filme religioso. O filme não usa o recurso da violência, como a maioria das produções, e passa uma linda mensagem em forma de experiência pelo que passa o personagem principal. As mensagens são claras e de fácil entendimento. Indicado para todas as idades.

Trailer (em espanhol):



Curiosidades:
Os Filhos de Martin Sheen, Charlie Sheen e Emilio Esteves (Clube dos Cinco) são atores

Eileen Brennan foi indicada ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante pelo filme "A Recruta Benjamin"

Alan Arkin foi indicado 3 vezes ao Oscar: "Os russos Estão Chegando! Os Russos Estão Chegando!" (1966); "Por que tem de ser assim?" (1968) e "Argo" (2012). Ganhou O Oscar de Melhor Ator Coadjuvante por "Pequena Miss Sunshine" (2006)

Sydney Penny (1971), a adolescente que é capturada quase no final do filme, é descendente de índios Cherokee. Voltou-se para seriados e novelas americanas. Esteve em "O Cavaleiro Solitário" ao Lado de Clint Eastwood e no filme infantil A Pirâmide de Cristal (1981)

James Farentino (1938–2012) faz a voz de Jesus no filme. O ator esteve em "Jesus de Nazaré", como Pedro, e foi o protagonista da série televisiva "Trovão Azul" (1984).

Filmografia Parcial:

Martin Sheen


 









Ardil 22 (1970); A Volta de Johnny Bristol (1972); Terra de Ninguém (1973); A Execução do Soldado Slovik (1974); A Travessia de Cassandra (1976); A Menina do Outro Lado da Rua (1976); Apocalypse Now (1979); Nimitz - De Volta ao Inferno (1980); Gandhi (1982); Um Homem, Uma Mulher E Uma Criança (1983); A Hora da Zona Morta (1983);  Chamas da Vingança (1984); O Guardião (1984);  O Quarto Sábio (1985); Adoradores do Diabo (1987); Marcas de uma Paixão (1987); Wall Street: Poder e Cobiça (1987); Tortura Silenciosa (1993); O Silêncio Mortal (1994); Meu Querido Presidente (1995); Celebração dos Anjos: A História de Dorothy Day (1996); Últimas Conseqüências (1997); Spawn: O Soldado do Inferno (1997); Jogo de Intrigas (2001); Prenda-me Se For Capaz (2002); Cidade do Silêncio (2006); Os Infiltrados (2006); A Chamada (2009); O Amor Acontece (2009); O Espetacular Homem-Aranha (2012); Procura-se um Amigo para o Fim do Mundo (2012); O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro (2014); Trash: A Esperança Vem do Lixo (2014); Bhopal: A Prayer for Rain (2014); L.M. Montgomery's Anne of Green Gables: The Good Stars (2017)


Alan Arkin


 









Os russos Estão Chegando! Os Russos Estão Chegando! (1966); Ardil 22 (1970); Visões de Sherlock Holmes (1976); O Jovem Lobisomem (1981); O Quarto Sábio (1985); Fuga de Sobibor (1987); Edward Mãos de Tesoura (1990); Havana (1990); O Sucesso a Qualquer Preço (1992); O Anjo da Guarda (1994); O Que É Isso, Companheiro? (1997); Gattaca - Experiência Genética (1997); Anjo de Vidro (2004); Pequena Miss Sunshine (2006); Firewall - Segurança em Risco (2006); O Suspeito (2007); Agente 86 (2008); Marley & Eu (2008); Argo (2012); Despedida em Grande Estilo (2017)

Eileen Brennan (1932–2013) 

 






 



A Última Sessão de Cinema (1971); Golpe de Mestre (1973); Crime e Paixão (1975); Assassinato por Morte (1976); A Recruta Benjamin (1980); O Quarto Sábio (1985); Os 7 Suspeitos (1985); Stella - Uma Prova de Amor (1990); Loucos de Paixão (1990); Olhos Famintos (2001); Halloween Macabro (2004); Miss Simpatia 2: Armada e Poderosa (2005); Naked Run (2011).

quarta-feira, 17 de maio de 2017

O HOMEM QUE VIU O INFINITO / THE MAN WHO KNEW INFINITY (2015) - REINO UNIDO / ESTADOS UNIDOS





"Conhecimentos Preciosos Vem das Origens Mais Modestas"
Srinivasa Ramunujan (Dev Patel) é  um jovem com uma habilidade incrível: sem possuir uma educação formal, é capaz de desenvolver fórmulas  matemáticas complexas.  Vivendo em uma Índia às portas da primeira guerra mundial e ainda colônia inglesa, tenta sem sucesso buscar alguém que possa ler seus manuscritos, que acredita possuir resoluções de algumas das questões matemáticas mais complexas da época. Quando um amigo envia para a Trinity College, em Cambridge, algumas de suas anotações, chama a atenção de G.H. Hardy (Jeremy Irons), um renomado estudioso da área. Cético, ele acredita que possa estar diante de um embuste, mas convida o jovem até a Inglaterra a fim de descobrir quem seria o autor de tais manuscritos.

Ramunujan chega a Inglaterra e percebe-se vítima de desconfiança e preconceito por parte de alguns integrantes do colégio. Hardy e seu melhor amigo, Littlewood (Toby Jones), passam a conviver com o jovem indiano e tentam entender como, sem conhecimentos elevados de matemática seria capaz de fórmulas inovadoras, capazes de abrir uma nova visão sobre teorias complexas e ainda não descobertas pelas maiores cabeças pensantes do mundo nesta área.


Cinebiografia de  Srinivasa Ramunujan (19887-1920) um dos maiores gênios matemáticos, responsável por dar um salto quantitativo sobre os estudos da teoria analítica dos números, funções elípticas, frações contínuas e séries infinitas.  O filme centra nos personagens de Jeremy Irons e Dev Patel mostrando a relação dos dois no campo da matemática e da amizade. 


Hardy é frio, cético e ateu. Trabalha com os números e tenta decifrá-los. Ramunujan  interpreta seu dom como uma força divida, um presente dos deuses, já que não sabe como explicar sua amplificada capacidade de raciocínio. Ou seja: não é apenas um choque de costumes,  é um confronto de religiosidade: Ateu versus religioso. Um tem sua teoria do porque Deus não existe (mas se mostra supersticioso), o outro vê exatamente o contrário. O filme permanece nessa questão ainda que bem nas entrelinhas.


O diretor Matt Brown,  em seu segundo longa, trouxe um filme muito interessante. Ramunujan abandona seus costumes e casamento (temporariamente) para ir em busca de um sonho e provar que suas análises são precisas. Hardy já fizera a mesma coisa: abandonara uma vida comum, um casamento, amigos (estes aspectos ficam subentendidos) em prol da matemática. Ela é a sua fiel companheira com quem está casado há anos. Amigo de verdade, apenas Littlewood. Ramunujan apresenta suas fórmulas, mas não é o bastante. Hardy quer provas contundentes se o que está lendo funcionará realmente. Não quer ser enganado nem ser percebido como tolo em apoiar ideias que, no futuro, se revelarão equivocadas. Até mesmo para quebrar o ceticismo da academia e de seus membros. Enquanto isso o jovem matemático continua encantando (não a todos) com suas fórmulas e equações, além da velocidade com que expõe e abre novos caminhos a problemas analisados há séculos. Mas a sua saúde encontra-se seriamente abalada.

O Homem Que Viu o  Infinito (podemos entender que se trata de seu trabalho sobre “as séries infinitas”) tem um bom ritmo, mas há alguns “problemas” na condução da história que poderiam ter sido melhor lapidados: o filme deixa a desejar quando entrar no campo da matemática. Tirando apenas uma explicação de Hardy ao mordomo (leia-se espectador), sobre uma teoria, o filme passa por cima daqueles que não dominam a matemática, levando a "jargões" técnicos, mas nada que impeça alguém de entender o que está acontecendo, visto que a ideia central foi focar mais na relação da dupla central e o entendimento de Hardy da importância do trabalho de Ramunujan.



O elenco está muito bem. Dev Patel é um ótimo ator e vem crescendo a cada trabalho. Jeremy Irons rouba o filme, o que poderia ser considerado complicado, visto que a história não é centrada em seu personagem, mas o ator é muito bom e equilibra bem a história com a composição de seu personagem. Toby Jones completa o trio como o melhor amigo de Hardy. O restante do elenco não compromete.


Vale muito a pena dar uma conferida nesta bela biografia de dois dos personagens mais interessantes do início do século passado, cujos estudos influenciaram gerações de matemáticos. A produção é refinada, a fotografia é ótima e o elenco muito bem escalado. Diversão de qualidade.

Trailer:





Curiosidades:
No filme "Uma Mente Brilhante" (1997), o personagem de Robin Williams cita  o nome de Ramunujan para o personagem de Matt Dillon.

Ramanujan morreu em 1920, aos 32 anos. Sua esposa faleceu em 1994, aos 95 anos. Segundo a tradição, nunca voltou a se casar.

Na vida real Ramanujan casou com sua esposa quando esta tinha apenas 10 anos e ele 21 anos,  mas somente quando esta completou 12 anos foi que puderam viver juntos.

Os  matemáticos Ken Ono e Manjul Bhargava colaboraram no filme.

Baseado no livro "The Man Who Knew Infinity" de Robert Kanigel.

Apesar de o personagem de Bertrand Russell estar no filme, nada é citado sobre sua obra e importância. 

O produtor Edwar R Pressman produziu vários filmes famosos: "O Barco: Inferno no Mar"; "Conan, o Bárbaro"; "Wall Street: Poder e Cobiça"; "Psicopata Americano"; "Obrigado por Fumar"; "Almas Gêmeas"...

  
Jeremy Irons ganhou o Oscar de Melhor Ator por "O Reverso da Fortuna" de 1990.


Dev Patel foi indicado ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante por "Lion"  de 2016.

 
Filmografia Parcial: 
Jeremy Irons
 

 









A Mulher do Tenente Francês (1981); A Missão (1986); Gêmeos - Mórbida Semelhança (1988); O Reverso da Fortuna (1990); Perdas e Danos (1992); A Casa dos Espíritos (1993); Duro de Matar 3: A Vingança (1995); A Máquina do Tempo (2002); Cruzada (2005); Eragon (2006); As Palavras (2012); O Homem que viu o Infinito (2015); Batman vs Superman: A Origem da Justiça (2016); Assassin's Creed (2016); Liga da Justiça (2017).

Dev Patel
 

 








Quem Quer Ser um Milionário? (2008); O Último Mestre do Ar (2010); O Exótico Hotel Marigold (2011); Chappie (2015); O Homem que viu o Infinito (2015); Lion: Uma Jornada Para Casa (2016); Hotel Mumbai (2017).

Toby Jones
 

 










Orlando - A Mulher Imortal (1992); Os Miseráveis (1988);  Joana D'Arc (1999); O Violinista que Veio do Mar (2004); O Despertar de Uma Paixão (2006); O Nevoeiro (2007); Cidade das Sombras (2008); Frost/Nixon (2008); W.(2008); O Ritual (2011); Capitão América: O Primeiro Vingador (2011); O Espião Que Sabia Demais (2011); Poder Paranormal (2012); Jogos Vorazes (2012); Branca de Neve e o Caçador (2012); Jogos Vorazes: Em Chamas (2013); Capitão América 2: O Soldado Invernal (2014); No Rastro da Bala (2014); Serena (2014); O Homem que viu o Infinito (2015); Jogos Vorazes: A Esperança - O Final (2015); Morgan (2016); Atômica (2017).