terça-feira, 19 de dezembro de 2017

BIRDMAN OU (A INESPERADA VIRTUDE DA IGNORÂNCIA) / BIRDMAN OR (THE UNEXPECTED VIRTUE OF IGNORANCE) - 2014 - ESTADOS UNIDOS






A DESESPERADA BUSCA PELA REINVENÇÃO


Riggan Thomson (Michael Keaton)  foi um famoso ator que estrelou, nos anos 90,  uma série de filmes cujo protagonista chamava-se "Birdman". O sucesso foi tremendo, mas não conseguiu deslanchar a carreira passando  a viver à sombra de seu personagem até que decidiu escrever, dirigir e encenar uma peça na Broadway para ser reconhecido como um ator sério e, assim, recuperar sua fama frente aos holofotes.  Um dos atores que participariam da peça sofre um acidente e conseguem  compor o elenco com um grande nome da Broadway,  Mike (Edward Norton), um astro  arrogante e talentoso  que só faz aquilo o que lhe interessa.



Birdman é um filme do diretor mexicano  Alejandro González Inárritu (O Regresso) que concorreu a nove Oscars, onde logrou êxito em quatro categorias. O filme é povoado de analogias e referências.  Michael Keaton foi o ator que estrelou nos anos 90 dois filmes da franquia Batman (1989 e 1992). O sucesso foi tremendo, mas sua carreira alternou bons e maus momentos e o ator nunca chegou ao hall de grandes atores de Hollywood.  Edward Norton, interpretando Mike, tem um pouco de si dentro do personagem, visto que é uma parodia ao próprio ator, considerado na indústria como muito difícil de se trabalhar.



A ideia  central de "um ator esquecido sendo interpretado por um ator esquecido" é algo muito curioso e não por acaso a produção abocanhou o Oscar de Roteiro Original.  O filme foi editado como se fosse  um único plano sequencial, ou seja, sem cortes, mas eles existem e a graça está na ilusão de que não existem.  (abaixo, nos vídeos, temos uma boa ideia), Birdman é bem diferente. Não é um filme de heróis, apesar de toda estória estar centrada em um personagem do gênero e não deve ser considerado como comédia (apesar de Michael Keaton ter conquistado o Globo de Ouro como melhor ator de filme de comédia). Podemos dizer que o filme é um drama com toques de humor negro. E o filme ousa, propositadamente, em não separar realidade de ilusão, por isso o espectador tem que ficar sempre atento.



Esse "filme dentro de uma peça teatral" tem várias nuances que nem sempre são perceptíveis para o espectador comum.  Inárritu fez dois filmes em um só: um para aqueles que gostam de estórias interessantes e outro para aqueles que amam o cinema e se deliciam com aspectos técnicos que distinguem os filmes e que tenham uma linguagem própria. Birdman é um pouco dos dois.
A primeira vez que vemos o rosto de Riggan também vemos o Poster de Birdman ao fundo . Esse é o primeiro indício que um não  vive sem o outro. Quando "Birdman" conversa na rua com Riggan ele cita que as pessoas amam filmes de ação, mas rejeitam temas filosóficos como sua peça. É uma crítica aqueles que não procuram filmes que levem à reflexão, somente filmes que garantam uma diversão escapista de consumo rápido e esquecível. Isso pode ser comprovado quando vemos que filmes como "Donnie Darko", "A Origem", "Predestinado", 'Sr Ninguém", "O Anjo Exterminador" e "O Homem Duplicado" não alcançam o mesmo público que os filmes "Transformers" e "Super Heróis Marvel" e "DC"... As farpas sobram também para os críticos que nada constroem e muitos tornam-se famosos por "destruir" uma obra.  Outra crítica está em que a "uma nova repentina fama" ocorra justamente nas redes sociais onde, conforme sua filha, seu momento de constrangimento foi visto por duas centenas de milhares em poucas horas, mais do que conseguira depois de sua saída frente ao personagem. É uma crítica que qualquer um pode ficar famoso ao protagonizar ou gravar um vídeo.  As redes sociais viraram um objeto de culto e qualquer coisa pode ser compartilhada independente da veracidade ou relevância que isso gere na vida das pessoas. 




A fotografia é algo a ser citado. O diretor Emmanuel Lubezki (que fizera um belo plano sequencial em "Gravidade") nos presenteia com uma inspirada sequência, aparentemente,  sem cortes (mas estão lá nos fade outs e nos clarões de luzes que surgem timidamente). Mas há outro aspecto a ser citado: o uso sutil das luzes e cores.  Podemos perceber vários momentos com o tom azul e vermelho e o ambiente com muito verde, vermelho e marrom. Uma alternância de cores que representam momentos dos personagens e até mesmo transições de ambientes. Poucos perceberão, mas ficou um ótimo trabalho (em curiosidades compartilho um vídeo do Youtube que explica as cores do filme)





Michael Keaton realmente incorporou o personagem: irônico, furioso, angustiado. O ostracismo nesse meio tem o significado de morte. Atores descartados pela indústria tiveram suas vidas destruídas por esse "monstro" chamado esquecimento. Edward Norton alegou ter aceito o papel por ser fâ de Keaton, é outro que dá um show. Norton interpreta um personagem que só é ele mesmo dentro do palco. Não liga pra nada, nem pra ninguém. Seu egocentrismo é evidente. Zach Galifianakis (Jake) faz um advogado, amigo, e que busca recursos para peça não acabar antes de começar. Lindsay Ducan (Tabitha) faz uma temida crítica teatral que pode destruir tudo com uma opinião negativa. Detalhe: ela não gosta de Riggan. Emma Stone (Sam) é a filha problemática, ex viciada, agora assistente de Riggan e que atribui seus problemas serem decorrentes de um pai ausente durante a maior parte de sua vida. Naomi Watts (Lesley) é uma atriz que vive todos os medos e expectativas de quem estreia numa peça de teatro. Com esse elenco o filme tornou-se ainda melhor.



Birdman é um filme que não agradará a todos os públicos. Sua temática não é para todos os gostos, mas seu roteiro, concepção e o apuro visual vinculado a ótima direção de Alejandro Inárritu transformaram esse misto de peça de teatro e cinema em algo bem diferente do habitual e só isso já vale uma conferida.  Não por acaso levou o Oscar de Melhor Filme.


Trailer:




DUAS MATÉRIAS SOBRE OS CORTES NO FILME (EM ESPANHOL). POSSUI SPOILERS








VÍDEO EXPLICANDO O USO DAS CORES NO FILME (TEM SPOILERS):



 
SITE DA REVISTA ROLLING STONES COM A REPORTAGEM ONDE UM DOS ROTEIRISTAS REVELA QUAL FOI O FINAL PLANEJADO (QUE TERIA O ATOR JOHNNY DEPP)

http://rollingstone.uol.com.br/noticia/ibirdmani-cena-final-tinha-johnny-depp-em-dialogo-com-jack-sparrow/



Curiosidades: 

A peça "Do que estamos falando quando falamos de amor" é de Raymond Carver.

Oscar de Melhor filme, direção, roteiro orginal e fotografia.

Keaton viria fazer o vilão "Abutre" no filme "Homem Aranha: De Volta ao Lar".

Emma Stone filmou durante uma parada nas filmagens de  "O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro" (2014) que também estava sendo filmado em Nova Iorque.

A voz de Birdman foi uma paródia da trilogia "Batman, O Cavaleiro das Trevas" com Christian Bale.

George Clooney é citado no filme como estando no mesmo voo que o personagem de Keaton. Clooney foi o segundo personagem a fazer "Batman após Keaton: Val Kilmer em Batman Eternamente" (1995) e Clooney em "Batman & Robin" (1997). 

Três atores estiveram em filmes de heróis da Marvel: Michael Keaton como o "Abutre" em "Homem Aranha: De Volta ao Lar" (2017): Emma Stone filmou em  "O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro" (2014) e Edward Norton em "O Incrível Hulk" (2008).

A cena em que Riggan esquece de pagar a corrida de Taxi, foi baseado em uma cena real ocorrida com Michael Keaton.

Robert Downey Jr é outro citado no filme. Downey Jr e Keaton estiveram em "Homem Aranha: De Volta ao Lar"

Em uma parte do filme é dito a Riggan que Martin Scorsese estaria na estreia da peça. A afirmação seria uma mentira contada para Riggan, mas Scorsese aparece na cena em que Riggan entra no teatro após ter atravessado a rua de cueca.

Existe um paralelo entre "Macbeth"  de William Shakespeare e "Birdman": Michael Keaton funcionaria como Macbeth e Birdman como Lady Macbeth, levando a fazer o que deseja (ser um rei, ou neste caso, ser popular e reconhecido).

"A Inesperada Virtude da Ignorância" seria o título da matéria que a crítica escreveria sobre sua análise da peça.


Filmografia Parcial: 
Michael Keaton








Johnny, o Gângster (1984); Fábrica de Loucuras (1986); Encontro Fatal (1986); De Médico e Louco Todo Mundo Tem um Pouco (1989); Batman (1989); Morando com o Perigo (1990); Batman: O Retorno (1992); Muito Barulho por Nada (1993); O Jornal (1994); Eu, Minha Mulher e Minhas Cópias (1996); Jackie Brown (1997); Medidas Desesperadas (1998); A Filha do Presidente (2004); Vozes do Além (2005); O Último Golpe (2006); RoboCop (2014); Need for Speed: O Filme (2014); Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância) (2014); Spotlight: Segredos Revelados (2015); Fome de Poder (2016); American Assassin (2017); Homem-Aranha: De Volta ao Lar (2017)

Edward Norton









As Duas Faces de Um Crime (1996);  O Povo Contra Larry Flint (1996); A Outra História Americana (1998); Clube da Luta (1999); Frida (2002); Dragão Vermelho (2002); Uma Saída de Mestre (2003); Cruzada (2005); O Ilusionista (2006); O Despertar de Uma Paixão (2005); O Incrível Hulk (2008); O Primeiro Mentiroso (2009); O Legado Bourne (2012); O Grande Hotel Budapeste (2014); Birdman (2014); Beleza Oculta (2016)



Emma Stone








Superbad: É Hoje (2007); Zumbilândia (2009); Amor a Toda Prova (2011); Histórias Cruzadas (2011); O Espetacular Homem-Aranha (2012); Caça aos Gângsteres (2013); Birdman  (2014); La La Land: Cantando Estações (2016); Cruella (2018)

Naomi Watts








Matinee - Uma Sessão Muito Louca (1993); Tank Girl - Detonando o Futuro (1995); Cidade dos Sonhos (2001); 21 Gramas (2003); O Assassinato de um Presidente (2004); O Chamado 2 (2005); King Kong (2005); O Despertar de Uma Paixão (2006); Senhores do Crime (2007); Você Vai Conhecer o Homem dos Seus Sonhos (2010); O Impossível (2012); Diana (2013); Birdman (2014); A Série Divergente: Insurgente (2015); Meu Nome é Ray (2015); A Série Divergente: Convergente (2016); Punhos de Sangue (2016); O Castelo de Vidro (2017); Ophelia (2018); Luce  (2018); A Série Divergente: Ascendente

Zach Galifianakis








Na Natureza Selvagem (2007); Visionários (2008); Se Beber, Não Case! (2009); Amor Sem Escalas (2009); Um Jantar para Idiotas (2010); Se Enlouquecer, Não Se Apaixone (2010); Se Beber, Não Case! Parte II (2011); Os Muppets (2011); Tim e Eric: O Filme de 1 Bilhão de Doláres (2012); Se Beber, Não Case! Parte III (2013); Muppets 2: Procurados e Amados (2014); Birdman  (2014); Gênios do Crime (2016); LEGO Batman: O Filme (2017); Uma Dobra no Tempo (2018);   


Lindsay Ducan

 









O Amor Não Tem Sexo (1987); O Reflexo do Mal (1990); Anatomia de um Assassino (1991); City Hall - Conspiração no Alto Escalão (1996);  Star Wars: Episódio I - A Ameaça Fantasma (1999); Palácio das Ilusões (1999); Sob o Sol da Toscana (2003); Alice no País das Maravilhas (2010); O Último Passageiro (2013); Birdman (2014); Alice Através do Espelho (2016);

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá Cinéfilos.
Obrigado por visitarem minha página.
Estejam à vontade para comentarem, tirarem dúvidas ou sugerirem análises.
Os comentários sofrem análises prévias para evitar spans. Tão logo sejam identificados, publicarei. Quaisquer dúvidas, verifiquem a Política de Conduta do blog.
Sua opinião e comentários são o termômetro do meu trabalho.
Visitem a minha página homônima no Facebook onde coloco muitas curiosidades sobre cinema e algo de séries (se puderem curtir ajudaria)
Bem vindos.
Cinéfilos Para Sempre