terça-feira, 3 de abril de 2018

EM PEDAÇOS / AUS DEM NICHTS / IN THE FADE (2017) - ALEMANHA / FRANÇA



ENTRE A JUSTIÇA E A VINGANÇA

Katja (Diane Kruger de "Troia" e "Forças Especiais") é alemã, vive uma vida feliz ao lado do marido de origem turca, Nuri (Numan Acar) e seu filho de seis anos,  Rocco, em Hamburgo.  Certo dia, antes de ir ao encontro da irmã grávida, vai ao escritório do marido e o deixa com Rocco. Ao voltar encontra a polícia e barricadas: um atentado em frente ao escritório causou mortes e explosões. Logo Katja recebe uma informação estarrecedora: um homem e uma criança foram mortos pela explosão e seus corpos foram de tal forma mutilados que precisam ser colhidas amostras de DNA para a identificação. Os dias passam e o passado de Nuri vem à tona levando a polícia por outros caminhos. Quando os verdadeiros culpados são presos, Kadja inicia um novo calvário: convencer a justiça de que os culpados pela morte de sua família não saiam impunes.



 
O filme é dividido em três atos ("A Família", "A Justiça" e "O Mar"): O primeiro é o cotidiano de Katja com sua família e a vida pregressa de Nuri que foi um traficante, ficou preso, estudou, se formou,  virando um consultor de finanças e tradutor que atende sua comunidade.  Uma vida de felicidade familiar e estabilidade financeira.


O segundo ato começa a partir do  atentado mudando a vida da protagonista e levando-a a mergulhar num inferno de desespero e desesperança. As duas pessoas que mais amava se foram. Não há o que ser feito. Sua vida, de certa maneira, foi junto com a explosão. A dor, o ódio e a solidão são fantasmas mais reais do que qualquer ficção. A dor daqueles que perdem seus entes queridos para a violência.  Mesmo que desde o início Katja suspeitasse de um grupo, a investigação prefere voltar  ao passado de seu marido que poderia (e ainda pode) estar ligado ainda a venda de drogas.  Mas fica a dúvida: qual a motivação? O que leva pessoas a terem um ódio mortal a ponto de findarem com vidas sem arrependimentos? Essa pergunta tenta chegar ao tribunal, mas os meandros de um processo de tal quilate são profundos e a atribuição de culpados nem sempre fácil de ser exposta. 




No terceiro ato temos Katja resolvendo fazer suas próprias investigações e percebendo que as coisas são mais complicadas do que previra. Só há uma medida a tomar e sua decisão tem que ser tomada logo. A tensão torna-se crescente e o espectador se engaja nessa aflição.



Em Pedaços é um filme intenso que mexe em uma ferida atual: a ascensão da extrema direita alemã e sua relação com ataques à ódio e raça contra minorias. O seu diretor, Faith Akin, nascido em Hamburgo e filho de imigrantes turcos, resolveu levar às telas pesquisas a partir de um atentado corrido em 2011 contra uma comunidade turca em que a polícia orientou, inicialmente, suas investigações, para desavenças entre turcos e curdos. Tendo também pesquisado ataques ocorridos entre 2000 e 2007 resolveu levar um apanhado dessas histórias e o resultado é um filme com uma temática dura e bem reflexiva para onde nosso mundo caminha.


Há vários elementos a serem percebidos em “Em Pedaços”:  a reflexão sobre ataques a minorias de origem muçulmana, num mundo em que muitos são levados a acreditar que todo muçulmano  é um perigo em potencial;  a ascensão de grupos neonazistas, principalmente no berço do nazismo; a justiça alemã de braços amarrados em punir os culpados (aí cabe um maior entendimento de suas leis) com direito a ótimas reviravoltas, a vida após um atentado... Tudo isso em meio a uma iluminação, em alguns momentos, mais escura com chuvas como no primeiro ato e vibrantes perto do fim. Aliais o espectador perceberá que cada ato tem sua particularidade. Até a tatuagem incompleta da protagonista tem uma conotação dentro a estória.



Quanto ao elenco podemos dizer que foi um tiro quase certeiro. Kruger é a força motriz do filme (não por acaso ganhou o premio de Melhor Atriz em Cannes). Com a câmera insistentemente focando em seu rosto, Kruger oferece a melhor interpretação de sua carreira e justamente em sua língua natal. Mas há outros a destacar:  Denis Moschitto como  o advogado de acusação e Johannes Krisch como o  sarcástico advogado de defesa elevam a produção a uma ótima atmosfera de filme de tribunal. Já a dupla de acusados teve um papel pouco desenvolvido e praticamente são engolidos em cena, ainda que sua relevância para a estória seja de máxima importância.  A destacar a bela fotografia de Rainer Klausmann que para cada ato utilizou uma lente de câmera diferente: áspera (em "A Família"), nítida (em "A Justiça") e antiga (em "A Praia"). tudo embalado por uma bela trilha sonora.




Em Pedaços é um filme denso, voltado para o público mais adulto, pelo conceito / conteúdo e por certas cenas, mas tem uma força interpretativa e narrativa muito fortes o que levou o filme a ser o vencedor do Globo de Ouro de Melhor Filme Estrangeiro. Akin, de filmes como “Do Outro Lado” (prêmio de Melhor Roteiro em Cannes) e “Contra a Parede” (vencedor no Festival de Berlim), fez um filme para quem gosta de produções fora do circuito de Hollywood. Um filme que te faz pensar à saída da sessão e que pode render um ótimo bate papo. 

Trailers:






Curiosidades:

Título em Portugal:  "Uma Mulher Não Chora".

Título na Espanha: "En la sombra".

Foi a partir da atuação da atriz no filme "Adeus Minha Rainha" (2012), como Maria Antonieta, que o diretor descobriu sua interprete ideal.

Em entrevista a atriz revelou ter tido contato, durante 6 meses, com pessoas vítimas de violências brutais, para a preparação da personagem.




Trilha Sonora:

Lykke Li - I Know Places

Courtney Barnett - Anonymous Club

Hindi Zahra - The Blues

Faith No More - Superhero 

Queen of the Stone Age - The Bronze

Joshua Homme & Michael Shuman - The Chase

Joshua Homme & Michael Shuman - Blood on the Wall

Joshua Homme & Michael Shuman -End Credits

Joshua Homme & Michael Shuman - In Slow Motion 

Joshua Homme & Michael Shuman - Suicide

Joshua Homme & Michael Shuman - Dead Man Walking 

Joshua Homme & Michael Shuman - I Knew 


Courtney Barnett - Anonymous Club


Hindi Zahra - The Blues


  
 Lykke Li - I Know Places




Entrevista com a atriz em Inglês ( podendo acionar legendas em inglês):




Filmografia Parcial:
Diane Kruger










  


O Guarda-Costas (2002); Tróia (2004); Paixão à Flor da Pele (2004); A Lenda do Tesouro Perdido (2004); O Segredo de Beethoven (2006); Mandela (2007); A Era da Inocência (2007); A Caçada (2007); A Lenda do Tesouro Perdido: Livro dos Segredos (2007); Bastardos Inglórios (2009); Sr. Ninguém (2009); Desconhecido (2011); Forças Especiais (2011); Um Plano Perfeito (2012); Pais e Filhas (2015), Em Pedaços (2017).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá Cinéfilos.
Obrigado por visitarem minha página.
Estejam à vontade para comentarem, tirarem dúvidas ou sugerirem análises.
Os comentários sofrem análises prévias para evitar spans. Tão logo sejam identificados, publicarei. Quaisquer dúvidas, verifiquem a Política de Conduta do blog.
Sua opinião e comentários são o termômetro do meu trabalho.
Visite a minha página homônima no Facebook onde coloco muitas curiosidades sobre cinema e algo de séries.
Bem vindos.
Cinéfilos Para Sempre