segunda-feira, 16 de outubro de 2017

BLADE RUNNER 2049 - (2017) - ESTADOS UNIDOS / REINO UNIDO / CANADÁ


Uma continuação digna de ser vista no cinema

30 anos após os eventos do primeiro filme a Terra encontra-se mais caótica do que nunca: a poluição devastou tudo; animais e plantas são algo raríssimo de serem encontrados; um pedaço de madeira virou "ouro" e as indústrias Tyrell faliram. Os Replicantes da geração Nexus 6, tão perfeitos que podiam ser confundidos com seres humanos estão sendo definitivamente "aposentados". K (Ryan Gosling) é um Blade Runner, um agente, responsável por localizar  os últimos remanescentes dessa antiga era. Ao encontrar um desses, se depara com um segredo que poderá mudar tudo à sua volta e que o leva a tentar localizar Rick Deckard (Harrison Ford), um dos mais eficientes Blade Runners, mas este encontra-se desaparecido há 30 anos.



Lançado em 1982, Blade Runner (ver minha análise aqui) recebeu críticas mistas, mas com o tempo a indústria se rendeu a um dos filmes mais interessantes já feitos: um roteiro original, personagens fascinantes e um cunho filosófico nem sempre perceptível na primeira vez que se vê. O novo filme ficou na gaveta por décadas por vários motivos. O resultado o público já pode conferir nas telas. Afinal Blade Runner vale por 2h43min de filme ? 



Dirigido pelo canadense Denis Villeneuve (de "A Chegada"), Ridley Scott estava às voltas com “Alien: Covenant”, entrando apenas como produtor executivo, Blade Runner 2049 consegue algo que poucos filmes conseguiram: fazer uma sequência tão boa que honra sua matriz original. Temos agora um novo Blade Runner: K (Ryan Gosling de “Drive” e “La La Land”). Nosso agente é frio e mortal, aposenta todas as antigas máquinas que restaram, mas descobre algo impossível do ponto de vista científico. Sua descoberta chega aos ouvidos de pessoas poderosas e, com a queda da empresa que criava os replicantes, uma nova surgiu, com um visionário à frente, Wallace (Jared Leto), que deu nova identidade às máquinas e as criou com outras diretrizes. K vai a procura desse mistério e quantos mais cava, mais confuso fica. 



A grande qualidade desta sequência é que se você não assistiu ao primeiro filme poderá entender a estória (mas, se tiver chance, pegue o DVD e veja o original para se situar) e com isso desfrutar de uma produção que não economizou nos figurinos, na ambientação e nos efeitos (que, ainda bem, aparecem menos que o filme) e o mais importante: é um filme para todos. Sua temática é de fácil compreensão e nada tem de "para públicos seletos". Harrison Ford, aos 75 anos (e aparentando bem menos) aparece lá pelas tantas e o filme ganha ainda mais dinamismo, afinal ele pode ser a chave de todo o mistério da busca de K. com seus inimigos interessados em enterrar essa descoberta. E as horas passam e nem percebemos...

E porque assistir no cinema? Bom, primeiro escolha 3D, a experiência visual é ampliada e o trabalho cenográfico é facilmente percebido. Segundo: o som. Há momentos em que está tão bem projetado que as cadeiras do cinema parecem tremer (e não fui naquelas salas especiais não). Outro fator a ser considerado é a personagem Joi (a atriz Ana de Armas), um holograma que interage com K e que numa tela grande podemos ver detalhes que a tela pequena não nos proporciona, fora os ambientes áridos e desolados e boas cenas de ação. E o principal: se você é fã do primeiro filme, depois de 35 anos esperando, vai aguardar o filme ir para a TV / DVD ?



O filme possui algumas referências: K (Ryan Gosling) vem do escritor do romance que deu origem ao primeiro filme: Philip K. Dick, e ao escritor Franz Kafka (do livro “O Processo”). Há uma releitura da cena do monólogo falado pelo personagem do ator Rutger Hauer, desta vez em meio a flocos de neve. Há as questões bíblicas nas frases de alguns personagens que será perceptível por aqueles que leem ou conhecem as principais partes do Livro Sagrado. Agora, o futuro poderá até ser sombrio, mas a Peugeot ainda estará comercializando carros (quem ver, entenderá). E assim vai.


Quanto ao elenco Ryan Gosling caiu muito bem como o Blade Runner que parece um jovem Deckard (Harrison Ford) e que se envolve em algo muito maior do que sua existência pode mensurar. Robin Wright (tenente Joshi) está bem  no papel da chefe de K que deseja que este lhe relate tudo que descobrir. A atriz cubana Ana de Armas faz o holograma Joi e foi uma ótima sacada do roteiro. A atriz é muito talentosa e deve alavancar a carreira após esta produção. Jared Leto (o Coringa do “Esquadrão Suicida”) faz um Wallace que se considera quase como uma divindade. É o vilão da estória. Por algum motivo não gostei muito de sua interpretação. Sylvia Hoeks faz o braço direito de Wallace. Gostei da atriz, tem presença cênica, ainda que sua personagem ficou parecendo um “Terminator” (da saga “Exterminador do Futuro”). Há uma aparição rápida de Dave Bautista (“007 Contra Spectre” e “Guardiões da Galaxia 1 e 2”). Sua aparição faz todo o sentido dentro do filme. Quem esperava ver Edward James Olmos (com seu personagem “Gaff”) sairá decepcionado. O personagem não apresenta aquele visual exótico e aparece muito rápido com uma de suas famosas frases. Uma pena, Olmos é um ator de primeira e poderia ter tido algo mais a contribuir. O restante do elenco está dentro do esperado.


Blade Runner foi o Cult Movie dos anos 80, mas é difícil dizer se esta sequência também o será. Atrativos para ir ao cinema são vários, como descritos acima. Não é um filme de super heróis, nunca foi e nunca será, mas tem um algo que vem fascinando grande parte do público e a especulação de que uma terceira estória venha a ser dirigida faz todo o sentido. Não é um filme de Harrison Ford e seu Deckard e isso é o novo fôlego que o filme precisava. É sobre como terminará aquela estória da década de 80 (lembrando que é um filme de ficção científica, então certas liberdades são permitidas). Um passatempo que vale a pena conferir.


Trailer:




Curiosidades:

A atriz Ana de Armas nasceu seis anos após a estreia de Blade Runner.

David Bowie foi a primeira escolha do diretor  Denis Villeneuve para o papel de Niander Wallace.


A cena inicial onde K confronta o replicante  Sapper Morton foi retirada do primeiro filme que havia sido escrita, colocada em storyboard, mas descartada na época . 

Foram feitos três curtas que ligam o primeiro filme ao segundo: Black Out 2022 (2017) ; 2036: Nexus Dawn (2017) e 2048: Nowhere to Run (2017), os dois últimos foram feitos por  Luke Scott , filho de Ridley Scott (abaixo os links dos curtas com legendas em português).

Jared Leto preferiu usar lentes opacas que o impossibilitaram de  enxergar em cena.

Denis Villeneuve disse que não haverá uma versão do diretor como houve no primeiro filme.

Jared Leto trabalhou com a organização "Junior Blind of America" em sua preparação para o papel de um cego.

Blade Runner 2049 tem 46 minutos a mais que o primeiro filme.

O filme foi orçado em $ 150.000.00.


O papel de Rachel foi feito pela dublê Loren Peta. O site IMDB revela que Sean Young treinou Loren para reproduzir seu modo de caminhar e falar.


Os  3 curtas na internet que complementam o filme:

Blade Runner 2022 - Black Out 

https://vimeo.com/trailersbr/2022blackout



Blade Runner 2036 - Nexus Dawn

https://vimeo.com/trailersbr/2036nexusdawn




Blade Runner 2048: Nowhere to Run




Filmografia Parcial:
Harrison Ford
 
 







 
Guerra nas Estrelas (1977); Apocalypse Now (1979); Star Wars: Episódio V -   Império Contra-Ataca (1980); Os Caçadores da Arca Perdida (1981); Star  Wars, Episódio VI - O Retorno do Jedi(1983); Indiana Jones e o Templo da Perdição (1984); A Testemunha (1985); Busca Frenética (1988); Uma Secretária de Futuro (1988); Indiana Jones e a Última Cruzada (1989); Acima de Qualquer Suspeita (1990); Jogos Patrióticos (1992); O Fugitivo (1993); Força Aérea Um (1997); Seis Dias, Sete Noites (1998); K-19: The Widowmaker (2002); Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal (2008); Os Mercenários 3 (2014); Star Wars: O Despertar da Força (2015); Star Wars: Episode VIII (2017), Blade Runner (2049).



Ryan Gosling

 







  

O Jovem Hércules (seriado 1998-1999); Cálculo Mortal (2002); Diário de uma Paixão (2004); Half Nelson - Encurralados (2006); A Garota Ideal (2007); Drive (2011); Amor a Toda Prova (2011); Caça aos Gângsteres (2013); A Grande Aposta (2015); Blade Runner 2049 (2017).


Robin Wright
 

 

A Princesa Prometida (1987); Um Tiro de Misericórdia (1990); A Revolta dos Brinquedos (1992); Forrest Gump: O Contador de Histórias (1994); Loucos de Amor (1997); Corpo Fechado (2000); A Promessa (2001); A Última Fortaleza (2001); Uma Casa no Fim do Mundo (2004); Questão de Vida (2005);  Nova York, Eu Te Amo (2008); Conspiração Americana (2010); Um Tira Acima da Lei (2011); Millennium: Os Homens que Não Amavam as Mulheres (2011); O Homem Mais Procurado (2014); Mulher-Maravilha (2017); Blade Runner 2049 (2017); Liga da Justiça (2017)


Jared Leto 










Prefontaine (1997); Lenda Urbana (1998); Além da Linha Vermelha (1998); Clube da Luta (1999); Garota, Interrompida (1999); Psicopata Americano (2000); Réquiem Para um Sonho (2000); O Quarto do Pânico (2002); Alexandre (2004); O Senhor das Armas (2005); Capítulo 27 (2007); Sr. Ninguém (2009); Clube de Compras Dallas (2013); Esquadrão Suicida (2016); Blade Runner 2049 (2017)


Edward James Olmos

 











Lobos (1981); A Balada de Gregório Cortez (1982); Blade Runner, o Caçador de Androides (1982); O Preço do Desafio (1988); Triunfo do Espírito (1989); O Preço de um Campeão (1991); América do Medo (1992); O Desaparecimento de Garcia Lorca (1996); Selena (1997); 12 Homens e uma Sentença (1997); Gangues de L.A. (2006); O Besouro Verde (2011); Blade Runner (2049) 

Dave Bautista
 

 







 
Sombras da Justiça (2011); O Escorpião Rei 3: Batalha Pela Redenção (2012); O Homem Com Punhos de Ferro (2012); Riddick 3 (2013); Guardiões da Galáxia (2014); 007 Contra Spectre (2015); O Sequestro do Ônibus 657 (2015); Assalto ao Poder (2016); Guardiões da Galáxia Vol. 2 (2017); Blade Runner 2049 (2017); IP Man Side Story: Cheung Tin Chi (2018); Avengers: Infinity War (2018); Escape Plan 2: Hades (2018)


Ana de Armas
 










Una rosa de Francia (2006); El callejón (2011); Bata Antes de Entrar (2015); Anabel (2015); Filha de Deus (2016); Punhos de Aço (2016); No Limite (2017); Blade Runner 2049 (2017)

Sylvia Hoeks 



 









A natureza contra ataca (2009); A Gangue de Oss (2011); A Garota e a Morte (2012); O Melhor Lance (2013);  Blade Runner 2049 (2017)

Lennie James
 












Perdidos no Espaço: O Filme (1998); Os Miseráveis (1998); Entre Gigantes (1998); Snatch: Porcos e Diamantes (2000); Sahara (2005); Os Fora da Lei (2007); 72 Horas (2010); Colombiana: Em Busca de Vingança (2011); Sequestro no Espaço (2012); Jogo Sujo (2014); Get on Up: A História de James Brown (2014); Blade Runner 2049 (2017); The Walking Dead (seriado 2010 -2018)
 


Denis Villeneuve (diretor)


 










Redemoinho (2000);  Polytechnique (2000); Incêndios (2010); Os Suspeitos (2013); O Homem Duplicado (2013); Sicario: Terra de Ninguém (2015); A Chegada (2016); Blade Runner 2049  (2017).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá Cinéfilos.
Obrigado por visitarem minha página.
Estejam à vontade para comentarem, tirarem dúvidas ou sugerirem análises.
Os comentários sofrem análises prévias para evitar spans. Tão logo sejam identificados, publicarei. Quaisquer dúvidas, verifiquem a Política de Conduta do blog.
Sua opinião e comentários são o termômetro do meu trabalho.
Visite a minha página homônima no Facebook onde coloco muitas curiosidades sobre cinema e algo de séries.
Bem vindos.
Cinéfilos Para Sempre