sábado, 23 de setembro de 2017

GOTCHA! - UMA ARMA DO BARULHO / GOTCHA! (1985) - ESTADOS UNIDOS




PRODUÇÃO LEVE E SEM COMPROMISSO

Jonathan Moore (Anthony Edwards) passa seus dias entre estudar e praticar um jogo de perseguição na faculdade onde tem que atingir e evitar ser atingido por “atiradores” com uma pistola de paintball. O jogo é “Gotcha”. Jonathan é um desastre com as garotas, mas um campeão na estratégia do jogo. Suas tentativas de conseguir uma garota nunca dão certo. ”Sorte no jogo, azar no amor". Certo dia consegue que sua família patrocine uma viagem à Paris. Ele e seu melhor amigo, Manolo (Jsu Garcia), chegam na “Cidade da Luz” e tentam conquistar garotas. Tudo muda quando o jovem encontra a bela Sasha (Linda Fiorentino) que lhe convida a ir até a Alemanha. Quando Jonathan se dá conta, percebe que se envolveu em um perigoso jogo de espionagem, onde um grupo fará de tudo para obter o que Sasha carrega.

Os anos oitenta !!! Me lembrava vagamente de Gotcha, um filme que vi na Tv e em VHS e que sempre me soou muito simpático, mas considerava um daqueles filmes que desapareceram por serem datados. Ledo engano. Fui surpreendido com um filme muito interessante, voltando à lembrança os motivos pela qual sempre gostei dessa produção.


“Gotcha !” (que é uma contração da expressão de "Got You" ou "Te Peguei !!") recebeu um subtítulo muito sem noção "Uma arma do barulho", até porque barulho é o que menos ela fazia. Jonathan é um americano virgem à procura de sua primeira namorada. Encontra uma mulher mais velha que o faz conhecer o amor e lhe vira a cabeça a ponto de acompanhá-la, em plena guerra fria, para dentro da Cortina de Ferro. A dupla vai parar  na temível Alemanha Oriental. 


Para quem viveu os anos 80, a Guerra Fria foi algo presenciado no dia a dia: conspirações, espionagem, ameaça nuclear, Muro de Berlin, paranoia e o medo que os americanos tinham dos países comunistas. Gotcha mergulhou nesse universo e incorporou outros como romance e situações de comédia light. E essas situações foram muito bem desenvolvidas: Manolo se passando por um terrorista argelino chamado "Chacal" para conquistar garotas que se sintam atraídas pelo perigo (lembrando que terrorismo nos EUA não existia ainda); a conversa entre Jonathan e Sasha ao se conhecerem; a saída da Alemanha Oriental em que a mesma mulher lhe proíbe em um guichê e lhe atende em seguida no outro como se não o conhecesse; Jonathan falando com uma mulher francesa a frase "Voulez-vous coucher avec moi?", que seria um convite para transar e não sair. E o mais irônico: Jonathan critica Manolo por se passar por um cara misterioso, envolvido em espionagem e acaba caindo no mesmo tipo de situação ...


O diretor Jeff Kanew havia feito dois anos antes o bom "Caçada Impiedosa" (1983) e, em 1991, dirigiria Kathleen Turner em "Bonita e Perigosa". Kanew fez uma aventura voltada para o publico juvenil, com um ritmo ágil, oriundo do roteiro de Dan Gordon. Gordon escreveu vários filmes interessantes: "O Passageiro 57" (1992); "Wyatt Earp" (1994); "Assassinato em Primeiro Grau" (1995) e fez o roteiro de "Hurricane: O Furacão" (1999). Já mostrava, neste, de seus primeiros filmes, talento para amarrar bem uma história com elementos bem originais. A brincadeira de "Gotcha" parece não fazer sentido no início do filme, mas contribui satisfatoriamente para o final, assim como, o personagem Manolo, que também parece ter um papel apenas para dar suporte a estória no início, ms que ajuda nosso herói de uma forma bem criativa. 


Tudo é bem amarrado em Gotcha.  É um misto de aventura com comédia juvenil, mas vendo com um olhar mais maduro do que na época percebe-se que os motivos pelo qual a produção agradou aquela geração não foi apenas sorte. Foi uma geração que teve bons filmes juvenis: “Porky's”; “De Volta Para o Futuro”; “Clube dos Cinco”; “A Garota de Rosa Shocking’; “Namorada de Aluguel”; “Curtindo a Vida Adoidado” ... Uma geração que recebeu qualidade nesse gênero e se divertia muito. Um filme como este hoje não seria feito, apenas por um pequeno detalhe: jovens armados com pistolas (mesmo que de tinta) correndo e atirando uns nos outros em uma faculdade, depois dos assassinatos em escolas nos Estados Unidos, seria um projeto condenado a não sair do papel. Épocas diferentes, situações diferentes.

Anthony Edwards (ainda com cabelo) e  Linda Fiorentino conseguiram segurar o filme. Ele com 23 anos (fazendo papel de 17 e, curioso, mentindo que tinha 23 para conquistar a personagem Sasha). Fiorentino estaria na casa dos 27 ou 29 anos (não se sabe a idade real da atriz - 1958 ou 1960) estava muito bonita neste filme e se tornaria uma musa dos adolescentes daquele período. Edwards seguiria uma carreia com algum destaque. Seria o parceiro de Tom Cruise em “Top Gun: Ases Indomáveis” (1986) e participaria do seriado “Plantão Médico” (entre 1994 e 2008). Fiorentino ficaria famosa com dois filmes: “O Poder da Sedução” (1994) e “Jade” (1995). A atriz não atua desde 2009. Jsu Garcia esteve em algumas boas produções e ainda está na ativa. 



Gotcha ainda é uma comédia bem legal. Um retrato de como eram as comédias juvenis dos anos 80, uma era de experimentações e transformações. Muita coisa boa e muita coisa esquecível foi feita. Este é um exemplo do que de bom era feito. Olhando o panorama anos depois, muita coisa mudou. Caiu o muro, houve pequenas guerras, conflito no Oriente Médio, onda de terrorismo, decadência social. No fim aquela época era bem melhor. Recomendável para aqueles que gostam de um filme bem leve, sem compromisso de passar alguma mensagem, apenas entreter. Uma produção que a programação das emissoras a cabo deveriam reprisar mais.

Curiosidades:
Em Portugal recebeu o título de "Um Americano em Berlim".

Anthony Edwards e o director Jeff Kanew haviam feito um anos antes "A Vingança dos Nerds" (1984).

O nome do objeto que Sasha (Linda Fiorentino) queria que Jonathan (Anthony Edwards) carregasse se chamava "Strudel".

Há várias referências aos filmes de 007: 
O sobrenome de Jonathan: "Moore", retirado do ator Roger Moore; 
Quando Jonathan fala : "The name is Moore. Jonathan Moore"; 
As locações na Alemanha foram as mesmas de 007 Contra Octopussy (1983)
Uma das locações na França foi a mesma do filme "007 - Na Mira dos Assassinos" (1985)", lançado no mesmo ano;
A trilha sonora ficou a cargo de  Bill Conti, que trabalhou em único filme do agente britânico: "007 - Somente Para os Seus Olhos" (1981).

A frase do professor na aula,  "Go ahead. Make my Day", remete ao filme de Eastwood,  "Impacto Fulminante" (1983), aonde o personagem "Dirty Harry" cunhou a famosa frase.

O filme custou $12.500.00 e arrecadou em torno de $10.800.000

A música "Gotcha!", interpretada por  Thereza Bazar, foi feita especialmente para o filme.

Trilha Sonora:

Gotcha interpretado por Thereza Bazar
Never Too Late interpretado por Giuffria
What's Your Name interpretado por Camelflage
Angel 07 interpretado por Hubert Kah
Wouldn't It Be Good interpretado por Nik Kershaw
Say It Ain't True interpretado por Giuffria
Gotcha Where I Want Ya  interpretado por Joan Jett and The Blackhearts
Small Town Boy  interpretado por Bronski Beat
Relax interpretado por Frankie Goes to Hollywood (Não foi incluída no LP)
Two Tribes interpretado por Frankie Goes to Hollywood (Não foi incluída no LP)
 
Filmografia Parcial:

Anthony Edwards

 









Picardias Estudantis (1982);  Lutando pelo Futuro (1983); A Vingança dos Nerds (1984); A Coisa Certa (1985); Gotcha! - Uma Arma do Barulho (1985); Top Gun: Ases Indomáveis (1986); Os Nerds Saem de Férias (1987);  O Elétrico Mr. North (1988); Cemitério Maldito II (1992); O Cliente (1994); Corações Apaixonados (1998); A Magia do Amor (1999); Os Thunderbirds (2004); Zodíaco (2007); Plantão Médico (seriado 1994 a 2008); Experimentos (2015); Controversy (2017);

Linda Fiorentino
 

 








Em Busca da Vitória (1985); Gotcha! - Uma Arma do Barulho (1985); Depois de Horas (1985); Shout: Dois Corações, Uma Só Batida (1991); À Sombra de um Disfarce (1993); O Poder da Sedução (1994); Jade (1995); Inesquecível (1996); MIB: Homens de Preto (1997); Dogma (1999); Cadê a Grana? (2000); Emboscada (2002); Once More with Feeling (2009) 

Jsu Garcia
 

 









A Hora do Pesadelo (1984); Gotcha! - Uma Arma do Barulho (1985); Predador 2 - A Caçada Continua (1990); O Novo Pesadelo: O Retorno de Freddy Krueger (1994); Um Vampiro no Brooklyn (1995); Comando Estratégico (1997); Candyman: Dia dos Mortos (1999); Traffic: Ninguém Sai Limpo (2000); Efeito Colateral (2002); Fomos Heróis (2002); Quero Ficar com Polly (2004); A Cidade Perdida (2005); Che: O Argentino (2008); Luta Pela Liberdade (2010); A Revolta de Atlas: Parte I (2011); Inferno by Dante (2017);

Alex Rocco (1936–2015)
 

 








O Homem Que Odiava as Mulheres (1968); O Poderoso Chefão (1972); A Última Cruzada do Fusca (1980); O Enigma do Mal (1982); Um Rally Muito Louco (1984); Um Homem Destemido (1985); Gotcha! - Uma Arma do Barulho (1985); De Volta à Escola de Horrores  (1987); O Nome do Jogo (1995); The Wonders: O Sonho Não Acabou (1996); O Casamento dos Meus Sonhos (2001); A Última Cartada (2006); Don't Sleep (2017).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá Cinéfilos.
Obrigado por visitarem minha página.
Estejam à vontade para comentarem, tirarem dúvidas ou sugerirem análises.
Os comentários sofrem análises prévias para evitar spans. Tão logo sejam identificados, publicarei. Quaisquer dúvidas, verifiquem a Política de Conduta do blog.
Sua opinião e comentários são o termômetro do meu trabalho.
Visite a minha página homônima no Facebook onde coloco muitas curiosidades sobre cinema e algo de séries.
Bem vindos.
Cinéfilos Para Sempre