segunda-feira, 25 de setembro de 2017

BINGO: O REI DAS MANHÃS (2017) - BRASIL




"A VIDA NÃO É BRINCADEIRA NÃO"

Início dos anos 80. Augusto Mendes (Vladimir Brichta) é um ator de Pornochanchadas que o acaso o leva a participar de um teste para ser apresentador de um programa infantil. O sucesso de seu teste o transforma em “Bingo” um palhaço engraçado, carismático, talentoso, mas com uma vida pessoal marcada por diversos problemas.  Filho de uma famosa atriz (vivida por Ana Lúcia Torre), agora no ostracismo, pai de um menino (vivido por Cauã Martins) ele se transforma num sucesso inquestionável de audiência,  numa época em que o  poderio das transmissões pertencia integralmente a uma grande emissora. Mas o seu contrato é claro: sua identidade não poderá ser jamais revelada sob a condição de perder o seu emprego.



Cinebiografia do ator Arlindo Barreto que encarnou o personagem no programa "Bozo", que durou de 15 de Setembro de 1980 e 2 de Março de 1991. O filme de Daniel Resende,  montador de filmes como "Cidade de Deus", "Tropa de Elite", "Arvore da Vida", “Robocop”,  “Ensaio Sobre a Cegueria” mostra a vida por trás da vida de um personagem que ganhou as manhãs diárias da programação, conquistando altos índices de audiência até chegar, por um tempo, ao primeiro lugar. Por questões de direitos e evitar futuros problemas, a produção optou por mudar o nome do personagem e fazer uma livre adaptação mesclada de história e muita ficção. Lembrando que o filme é para adultos.



Muitos irão se surpreender ao saber que haviam vários "Bozo". Pelo menos quatro se revezavam no papel. O primeiro teria sido Wandeco Pipoca (Wanderley Tribeck) que fora treinado pelo dono da marca americana. Sua fase ocorreu entre 1980 e 1982 (ao que saiu do programa). Décio Roberto foi o segundo (que ficou até o final, em dezembro de 1991). O terceiro a interpretar talvez seja o mais conhecido: Luis Ricardo (de 1982 até 1989), em  seguida Arlindo Barreto e, posteriormente Marcos Pajé (1983 a 1986), este último com vídeos no YouTube contando seus problemas com drogas pesadas na época, o que daria outro filme interessante. O quarteto se revezava na programação que era feita em São Paulo, na Vila Guilherme. Os prêmios do “Bozo Memória” eram distribuídos aos sábados na TVS Rio no bairro de São Cristóvão. A questão de quais eram os primeiros "Bozo" é algo que ainda diverge, mas há um consenso de que o primeiro foi Wandeco Pipoca e o último Décio Roberto. O Wikipédia cita uma linha do tempo dos contratados, as entrevistas (no You Tube) com os protagonistas citam outra. Havia mais nomes na lista porque o programa se passava também em MInas e Bahia e as ligações telefônicas eram locais, o que obrigava a ter um personagem em estúdio para atender as crianças e manter a magia. O programa ganhou 5 Troféus Imprensa de Melhor Apresentador Infantil entre 1981 e 1986. A queda nos índices e o fim do contrato selaram o destino do programa que voltaria em 2013 em  novo formato, mas duraria pouco. Além do Bozo, o programa apresentava pelo menos 3 personagens bem conhecidos: Vovó Mafalda (Valentino Guzzo), Papai Papudo (Gilberto Fernandes, 1935-2010, famoso anos depois pelas “pegadinhas") e Salci Fufu (por Pedro de Lara - 1925-2007).




Feitas as devidas considerações, Bingo prova-se um filme acima da média por vários fatores: uma direção de arte impecável que insere o espectador direto nos anos 80; um repertório musical que trouxe uma nostalgia inequívoca de muito bom gosto; fotografia, em três tempos, que realça as fases do personagem: colorida suave;  psicodélica e quase cinza; posicionamento de câmera, onde, por exemplo, há uma cena em que a câmera gira de lado, num momento crucial do filme; um elenco afinadíssimo com a história (e a ficcção) e um diretor que mostra em seu  primeiro filme à frente das câmeras um talento para ótimas futuras produções.



O elenco surpreende pela homogeneidade das atuações. Estão todos ótimos. Só que Brichta e Leandra Leal, com papéis mais destacados, se sobressaíram de forma impactante. Britcha não era o candidato ao papel, era Wagner Moura (“Tropa de Elite”), mas, envolvido com a série “Narcos”, acabou declinando do projeto indicando o amigo para o papel. Fica muito difícil imaginar Moura, tamanha a força que Britcha imprimiu ao personagem: alegre, melancólico, louco, raivoso, contestador, irônico. Nem todo ator consegue colocar em cena de forma convincente todas essas emoções. Leandra Leal faz a diretora durona, centrada e dedicada que tenta manter tudo sob controle num ambiente de total descontrole. Sua personagem está perfeita e o clima de tensão entre os dois está sempre presente. A veterana e excelente atriz Ana Lúcia Torre faz a mãe de Mendes, uma celebridade da tv que vive triste  e desiludida, no ostracismo. Cauã Martins é Gabriel, filho de Augusto que não pode revelar a ninguém que o seu pai é o homem por trás da maquiagem. Augusto Madeira, como o câmera-man Vasconcellos dá o equilíbrio necessário, por sua excelente veia cômica e é parte essencial da história por trás da história. Emanuelle Araújo como Gretchen é outro achado. Temos ainda Pedro Bial  e Domingos Montagner, falecido durante as gravações de uma novela, em rápidas aparições




Bingo o Rei das Manhãs é uma viagem ao âmago de um ser humano que fazia rir, mas que chorava por dentro. Uma vida na comédia cotidiana e um drama intenso em sua real personalidade. Dante alegava que o ser humano possuía várias máscaras, Augusto Mendes é a personificação, muitas vezes, do que se é à frente das câmeras e o que ocorre quando se olha os bastidores. Há várias situações de ficção incorporadas à história? Sim, há vários elementos. Vendo a entrevista de alguns dos ex-protagonistas pode-se dizer que há alguma coisa de cada um deles ali, mas optou-se por levar as telas somente de um deles.




Candidato a representar o Brasil na pré-seleção para o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro é difícil especular se esse formato cativará os votantes que costumam preferir produções mais conservadoras. Mas isso não tira em nada o mérito que Bingo vem conquistando. Merecidamente vem colhendo ótimas críticas da midia especializada e de público e dá um salto de qualidade neste novo "cinema novo" que parece ter muito a contribuir para colocar nosso país a ser visto como um grande produtor de filmes. 

Trailer:



Curiosidades:
Vladimir ensaiou como palhaço em um circo de forma anônima.

Gretchen é a única que teve o nome mantido no filme.

Orçamento de 8,5 milhões de reais. 

O verdadeiro Arlindo aparece na cena em que Armando sai da festa e volta sendo barrado. É ele quem pergunta "Quem é esse cara ?".

Arlindo é pastor da Congregação batista Brasileira. Sua mãe era a atriz Marcia de Windsor.


Trilha Sonora:

Bring On The Dancing Horses interpretado por  Echo And The Bunnymen
Conga, Conga, Conga interpretada por Gretchen
99 Red Balloons interpretada por Nena
Tudo Pode Mudar interpretada por Metrô
Serão Extra interpretado por Dr Silvana & Cia
Casanova interpretado por Ritchie
That's good  interpretado por Devo
Humanos interpretado por Tokyo
Linda Demais interpretado por Roupa Nova
Televisão interpretado por titãs

Malambo No. 1 interpretado por Yma Sumac


Making Of



Filmografia Parcial:

Vladimir Brichta

 


 





O Barato é Ser Careta (2000); A Máquina (2005); Fica Comigo Esta Noite (2006); Romance (2008); A Mulher Invisível (2009); Quincas Berro d'Água (2010); A Coleção Invisível (2012); Minutos Atrás (2013); Muitos Homens Num Só (2014); Vai que Dá Certo 2 (2016); Um Homem Só (2016); Bingo: O Rei das Manhãs (2017).

Leandra Leal












A Ostra e o Vento (1997); O Viajante (1998);  Dias de Nietzsche em Turim (2001); O Homem Que Copiava (2003); Cazuza: O Tempo Não Pára (2004); Zuzu Angel (2006); Nome Próprio (2007); Se Nada Mais Der Certo (2008); Boca do Lixo (2010); Éden (2013); O Uivo da Gaita (2013); O Rio nos Pertence (2013); Bonitinha, Mas Ordinária (2013); O Lobo atrás da Porta (2013); Mato Sem Cachorro (2013); Chatô: O Rei do Brasil (2015); La Vingança (2016); O Rastro (2017); Bingo: O Rei das Manhãs (2017),

Augusto Madeira

 







Villa-Lobos - Uma Vida de Paixão (2000); O Caminho das Nuvens (2003); Tropa de Elite (2007); Os Desafinados (2008); VIPs (2010); Cilada.com (2011); Uma Professora Muito Maluquinha (2011); Os Penetras (2012); Trinta (2014); Os Caras de Pau em O Misterioso Roubo do Anel (2014); O Espelho (2015); Nise: O Coração da Loucura (2015); Bem Casados (2015); O Escaravelho do Diabo (2016); Vidas Partidas (2016); Malasartes e o Duelo com a Morte (2017); Bingo: O Rei das Manhãs (2017); O Nome da Morte (2017),

Emanuelle Araújo
 

 









Ó Paí, Ó (2007); Aos Ventos que Virão (2013); S.O.S.: Mulheres ao Mar (2014); Até que a Sorte nos Separe 3: A Falência Final (2015); Bingo: O Rei das Manhãs (2017).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá Cinéfilos.
Obrigado por visitarem minha página.
Estejam à vontade para comentarem, tirarem dúvidas ou sugerirem análises.
Os comentários sofrem análises prévias para evitar spans. Tão logo sejam identificados, publicarei. Quaisquer dúvidas, verifiquem a Política de Conduta do blog.
Sua opinião e comentários são o termômetro do meu trabalho.
Visite a minha página homônima no Facebook onde coloco muitas curiosidades sobre cinema e algo de séries.
Bem vindos.
Cinéfilos Para Sempre