segunda-feira, 18 de setembro de 2017

A CURA / A CURE FOR WELLNESS (2016) - ESTADOS UNIDOS / ALEMANHA





SPA DO MEDO

Uma corporação passará por processo de fusão. Para que o acordo seja realizado é necessário que o executivo sênior da empresa, Pembroke (Harry Groener), assine, com os sócios, o "de acordo". Só que estes recebem uma carta pelo próprio informando estar em uma spa nos Alpes Suíços sem nenhuma intenção de retorno. A empresa escala Lockhart, um jovem ambicioso, para buscá-lo a qualquer custo para que  Pembroke assine e todos saiam com altos ganhos.


Lockhart chega ao local, mas não consegue falar com Pembroke, ficando de voltar no dia seguinte. Seu carro sofre um acidente na estrada e sua perna quebrada o obriga a virar hóspede do lugar, onde a maioria de idosos ricos parece absorta em pensamentos e fora da realidade. Uma "sociedade" de pessoas felizes que bebem de uma água regenerativa, que elimina as impurezas do corpo. Lockhart percebe que talvez a água faça bem mais do que isso e que sua estadia poderá ser bem mais longa e complicada do que imaginara, principalmente ao conhecer Volmer (Jason Isaacs), o estranho diretor do local, além da enigmática e única paciente jovem do local : Hannah (Mia Goth).


A Cura é um filme diferente do que estamos acostumados a assistir: tem elementos do cinema fantástico, algo no estilo das séries "Além da Imaginação" e "Black Mirror". Lembra o universo de alguns filmes do diretor David Cronenberg e principalmente "A Ilha do Medo" de Martin Scorsece. Há uma trama central sobre a ambição do ser humano em detrimento da felicidade, mas o filme começa a velejar para o suspense / cinema fantástico com injeção de diversos elementos como loucura, surrealismo, tortura, Frankenstein, mistério, sonhos. O problema é como foi escrito. Gore Verbinski, diretor de "O Chamado" (1992); e dos divertidos "Piratas do Caribe: A Maldição do Pérola Negra"; "O Baú da Morte" e "No Fim do Mundo" e pouco interessante "O Cavaleiro Solitário" (2013), resolveu pegar o roteiro de Justin Haythe (onde também coescreveu) e tentou transportar a difícil proposta para a tela: o resultado foi que o filme tem quase 2 horas e meia de duração e muitos elementos não foram explorados por completo, ficando em alguns espectadores aquela sensação de “me explique algumas cenas”. Em alguns momentos  passa a impressão de que os envolvidos acharam que o final ficaria muito óbvio e resolveram alongar o meio. 


Gore Verbinski não fez um filme para todos os públicos isso é verdade, o que cria os famosos ame ou odeie, mas uma coisa temos que admitir : indiferença não é uma delas. O filme tem muitas qualidades: tem uma fotografia excelente, tem cenários muito bem escolhidos que dão uma sensação de bem estar nos arredores da instituição e claustrofobia e desespero dentro de suas paredes. A primeira parte do filme realmente prende, a segunda parte deixa quem o assiste envolto em um interessante mistério do que é realmente o local e qual sua nefasta intenção.  A terceira, próxima ao fim, entrega algo bem diferente de até então (muitos já terão uma ideia do que o mistério trata e qual o papel dos envolvidos) e o resultado será um tanto quanto frustrante para alguns. Outros, porém, o considerarão acima da média.


Cenas inquietantes não faltam. Erros de continuidade parecem não ter faltado (como, por exemplo, a cena da cadeira e o protagonista do nada aparecendo no carro). Cenas enigmáticas também (a última cena do filme). Mas a atuação dos envolvidos compensou os problemas de um filme cujo o orçamento foi baixo, obrigando a conter muita criatividade para gerar um produto competitivo no tão disputado mercado de produções cinematográficas.


Dane DeHaan é um jovem ator que vem mostrando que, em breve, estará à frente de grandes produções. O ator de "O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro" (como o "Duende Verde") consegue dar a credibilidade a um personagem que possui múltiplas emoções. Se o filme teve o destaque que precisava, em muito deve a sua inspirada atuação (que em alguns ângulos, lembrou Leonardo Di Caprio). Jason Isaacs, como o imprevisível diretor, de filmes como “O Soldado do Futuro”, “O Terno de Dois Bilhões de Dólares” e alguns filmes de “Harry Porter” saiu-se muito bem em um vilão que não ficou caricato e que está sempre pronto a responder com ironia e sarcasmo as situações que se apresentam. Mia Goth é outra que se destaca como a jovem que parece em um sonho, meio fora da realidade, mas com seus desejos. O restante do elenco se apresenta muito bem com destaque para Celia Imrie ("O Exótico Hotel Marigold" e os filmes de "Bridget Jones") como a “hóspede” que passa os dias fazendo palavras cruzadas e descobrindo a verdadeira história por trás do secular local.


A Cura é um filme instigante, muito bem feito, que se explicaria melhor em uma edição mais enxuta. Ainda assim é um espetáculo interessante, visualmente bem elaborado com uma estória que prende até um final que poderia ter sido mais original, mas nada que impeça aqueles que gostam de assistir produções que fujam do tradicional e banal que o cinema tenta mostrar cotidianamente. O diretor pode ter tido pequenos problemas para contar a estória, mas nada que tire o mérito de uma produção bem imaginativa.

Trailer:



Curiosidades:
Gore Verbinski ganhou o Oscar pela animação Rango (2011).

O filme custou $40.000.000 e faturou em torno de $26.000.000

Trilha Sonora:
Symphony No. 1 in C Major, Op. 21: II. Andante Cantabile Con Moto  (Ludwig van Beethoven)
Symphony No. 2 in D Major, Op. 36: II. Larghetto ( Ludwig van Beethoven)
Symphony No. 4 in B-Flat Major, Op. 60: II. Adagio (Ludwig van Beethoven)
Symphony No. 6 in F Major, Op. 68: Pastoral II. Andante Molto Mosso (Ludwig van Beethoven)
No. 5 in B Flat D485: 2. Andante Con Moto (Franz Schubert)
Danny's Song interpretada por  Pat Valentino & His Orchestra
"Augen auf' interpretada por Oomph!
Ich Wollt Nur Deine Stimme Hörn interpretada por Soehne Mannheims
Spliff interpretada por  Bilderbuch
I Wanna Be Sedated  interpretada por Benjamin Wallfisch


 
Filmografia Parcial: 

Dane DeHaan 

 









Poder Sem Limites (2012); Lincoln (2012); Sem Evidências (2013); Vida Após Beth (2014); O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro (2014); Life: Um Retrato de James Dean (2015); A Cura (2016); Valerian e a Cidade dos Mil Planetas (2017).

Jason Isaacs
 

 









Coração de Dragão (1996); O Enigma do Horizonte (1997); Armageddon (1998); O Soldado do Futuro (1998); O Patriota (2000); Falcão Negro em Perigo (2001); Resident Evil: O Hóspede Maldito (2002); O Terno de Dois Bilhões de Dólares (2002); Harry Potter e a Câmara Secreta (2002);  Harry Potter e o Cálice de Fogo (2005); Harry Potter e a Ordem da Fênix (2007); Um Homem Bom (2008); Harry Potter e o Enigma do Príncipe (2009); Zona Verde (2010); Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 1 (2010); Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 2 (2011); Corações de Ferro (2014); Conexão Escobar (2016); A Cura (2016); The Death of Stalin (2017); Star Trek: Discovery (seriado 2017 -2018).


Mia Goth
 

 






  

Ninfomaníaca: Volume 2 (2013); The Survivalist (2015); Evereste (2015); A Cura (2016); Suspiria (2018); High Life (2018).


Celia Imrie
 

 









Highlander: O Guerreiro Imortal (1986); Frankenstein de Mary Shelley (1994); Star Wars: Episódio I - A Ameaça Fantasma (1999); O Diário de Bridget Jones (2001); A Revelação (2001); Garotas do Calendário (2003); Bridget Jones: No Limite da Razão (2004); A Conquista da Liberdade (2005); Imagine Eu & Você (2005); Nanny McPhee, a Babá Encantada (2005); Escola para Garotas Bonitas e Piradas (2007); Escola para Garotas Bonitas e Piradas 2 (2009); O Exótico Hotel Marigold (2011); Um Plano Brilhante (2013); O Exótico Hotel Marigold 2 (2015); O Incrível Livro de Hipnotismo de Molly Moon (2015); O Bebê de Bridget Jones (2016); A Cura (2016).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá Cinéfilos.
Obrigado por visitarem minha página.
Estejam à vontade para comentarem, tirarem dúvidas ou sugerirem análises.
Os comentários sofrem análises prévias para evitar spans. Tão logo sejam identificados, publicarei. Quaisquer dúvidas, verifiquem a Política de Conduta do blog.
Sua opinião e comentários são o termômetro do meu trabalho.
Visite a minha página homônima no Facebook onde coloco muitas curiosidades sobre cinema e algo de séries.
Bem vindos.
Cinéfilos Para Sempre